Em uma manhã de céu azul na icônica Lagoa Rodrigo de Freitas, no coração do Rio de Janeiro, foi realizada a XIX Regata a Remo do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN). Organizado pelo Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), o evento é parte do Circuito Poder Marítimo e tem como objetivo promover o remo, um dos esportes mais tradicionais da Marinha do Brasil. Além disso, a regata visa reforçar a mentalidade marítima na sociedade e incentivar um estilo de vida mais saudável.

Competição, Comunidade e Conscientização

regata foto1

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Amanda Cristina da Silva, visitante de férias no Rio com a filha Eloá e a sobrinha Safira, exemplifica o impacto do evento. “Achei tudo muito bonito, divertido e interessante. Ficamos impressionados com a dedicação, técnica e força das atletas. A mensagem que eu levarei para minha família é que precisamos cuidar mais das nossas águas”. O evento incluiu competições de remo em diferentes categorias, assim como demonstrações de remo costal e de remo de combate. Além disso, o público teve a oportunidade de conhecer equipamentos, barracas e veículos blindados da Marinha.

Encontro Cultural e Educativo

regata foto2

Os visitantes tiveram a chance de se aproximar da Marinha e entender melhor seu papel. Carlos Eduardo Sparti, turista do Espírito Santo, descreve: “Com isso tivemos a chance de conhecer um pouco do que a Marinha e os Fuzileiros Navais fazem, e isso foi muito importante. A experiência aumentou nosso entendimento sobre preservação do mar”. Ao expor diversos equipamentos e meios operativos, a regata serviu também como uma janela para a vida e o trabalho dos fuzileiros navais.

O Legado do Remo para os Fuzileiros Navais

O Capitão de Mar e Guerra (Fuzileiro Naval) Vannei de Almeida Silva Júnior explicou o significado do evento: “O Circuito Poder Marítimo é composto por nove etapas, que são disputadas por diversas Organizações Militares. Foi uma grande honra receber a população e uma ótima oportunidade de fortalecer a mentalidade marítima na sociedade”. Ele acrescenta que o remo em escaler, uma atividade tradicionalmente ligada à Marinha e ao CFN, encarna valores importantes como tenacidade, liderança, camaradagem, iniciativa, trabalho em equipe e combatividade.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).