A PortosRio anunciou a implementação de um software de segurança de última geração no Porto do Rio de Janeiro. Com um investimento de R$ 3 milhões, esse sistema integrado combina monitoramento de imagens, controle de acesso por reconhecimento facial e leitura de placas com câmeras LPR. Apresentado no Centro de Comando e Controle de Segurança Portuária (CCCSP), este avanço tecnológico tem como objetivo reforçar o monitoramento e o controle de acesso ao porto.

Inovação em Monitoramento e Controle de Acesso

A modernização inclui a substituição de mais de 200 câmeras por modelos com Inteligência Artificial, 4k de resolução e capacidades termal e de zoom ótico. A mudança no sistema de autenticação de acesso ao porto, da biometria digital para o reconhecimento facial, é um destaque, trazendo mais segurança e minimizando o risco de fraudes.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Gestão Eficiente e Resposta Rápida

WhatsApp Image 2024 01 18 at 17.40.24 2

Carlos Cerveira, superintendente de Tecnologia da Informação da PortosRio, destacou que a integração do monitoramento de imagens e controle de acesso em um único sistema facilita a administração e permite reações rápidas e eficientes a eventos de segurança. A solução permite a configuração de eventos pré-definidos, gerando alarmes antecipados para os operadores.

Expansão e Uso de Drones

A implementação, atualmente em fase de ajustes finos, tem planos de expansão para outros setores da companhia, como Meio Ambiente e Segurança do Trabalho. A PortosRio está testando também drones equipados com câmeras de alta resolução para complementar as imagens, oferecendo monitoramento em tempo real no CCCSP.

Fortalecimento do Controle Portuário

Com esses avanços, o Porto do Rio de Janeiro amplia seu controle sobre todas as áreas do porto organizado, desde a detecção de intrusos e tentativas não autorizadas de entrada até a identificação de irregularidades como falta de EPI ou trânsito de veículos em velocidades não permitidas.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).