PF

Neste domingo, uma operação conjunta da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) resultou na maior apreensão de drogas do ano: cerca de 1,5 tonelada de cocaína foi encontrada a bordo do navio de carga italiano Grande Amburgo, no Porto de Vitória, Espírito Santo.

A Investigação Internacional

A apreensão é fruto de investigações que envolveram a colaboração entre diversos países. A droga já havia sido alvo de ações semelhantes nos portos de Santos (SP), na Espanha e na Alemanha. Esse trabalho conjunto demonstra a importância da cooperação internacional no combate ao tráfico de drogas.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Operação de Varredura

apreensaococaina2 0
PF

A apreensão envolveu mais de 50 servidores da PF e da PRF, 14 cães farejadores, embarcações, drones subaquáticos e até o apoio da Marinha. A droga estava escondida em 52 fardos, distribuídos em dois pontos diferentes do navio. As investigações também estão analisando se algum membro da tripulação teve envolvimento no transporte da droga.

Consequências e Novos Desenvolvimentos

Até o momento, ninguém foi preso, mas a tripulação do Grande Amburgo está retida no Brasil enquanto as investigações prosseguem. Amostras de material genético e impressões digitais foram coletadas para ajudar na identificação de possíveis envolvidos.

Essa apreensão ocorreu logo antes do início da Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que permitirá que militares da Aeronáutica, Exército e Marinha atuem para combater o tráfico de drogas e armas, entre outros crimes, em três portos e dois aeroportos nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, além do Lago de Itaipu, na fronteira entre Brasil e Paraguai.

A apreensão da cocaína a bordo do Grande Amburgo é um marco na luta contra o tráfico de drogas e destaca a importância do trabalho conjunto das autoridades brasileiras e internacionais na busca por um continente mais seguro.

Com informações da Agência Brasil

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).