Imagem: PRF

Em uma iniciativa exemplar de prevenção e educação, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) através do seu Grupo de Operações com Cães (GOC-RJ), realizou uma palestra informativa sobre os perigos das drogas para cerca de 300 recrutas recém-incorporados ao Exército Brasileiro. O evento aconteceu na manhã desta terça-feira (9) no Rio de Janeiro, destacando-se não só pelo conteúdo educativo, mas também pela interação dos participantes com os cães farejadores, K9 Azul e K9 Serena.

Conscientização e educação preventiva

Durante o evento, os policiais abordaram temas cruciais como as causas e consequências do uso de drogas, tanto no contexto individual quanto nos âmbitos familiar e social. Esta abordagem visa armar os jovens recrutas com o conhecimento necessário para reconhecer e resistir às pressões que podem levar ao abuso de substâncias. A discussão estendeu-se aos efeitos devastadores do narcotráfico na sociedade, incluindo a violência e desestabilização social que frequentemente acompanham o comércio ilegal de entorpecentes.

Demonstração prática com agentes caninos

Um dos pontos altos da palestra foi a demonstração de busca realizada pelos agentes caninos K9 Azul e K9 Serena. Estes cães, treinados especificamente para detectar drogas, armas e munições, mostraram suas habilidades em um simulado de operação de campo, fascinando os recrutas com a precisão e eficácia de suas técnicas de busca. A interação entre os cães e os recrutas não apenas proporcionou um momento de leveza, mas também destacou a importância dos animais no combate ao crime, especialmente em operações especializadas.

Impacto positivo e perspectivas futuras

A realização de eventos como este é fundamental para fortalecer a luta contra as drogas e o crime organizado. Além de informar os jovens soldados sobre os perigos associados ao uso de drogas, a iniciativa também reforça o papel da educação na prevenção. O envolvimento dos cães farejadores demonstra ainda a capacidade e a versatilidade das forças de segurança na utilização de recursos não convencionais para manter a segurança pública.

Essas palestras não apenas prepararam os recrutas para enfrentar desafios relacionados ao narcotráfico em suas futuras carreiras militares, mas também promoveram uma maior conscientização sobre as medidas preventivas que podem ser adotadas para proteger suas comunidades.

Com informações da PRF

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).