Na manhã de terça-feira, a Força Aérea Brasileira (FAB), através do SALVAERO Recife, demonstrou mais uma vez sua vitalidade e precisão em operações de resgate ao realizar uma Evacuação Aeromédica (EVAM) em alto-mar. A operação envolveu a aeronave H-36 Caracal, operada pelo Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1º/8º GAV) – Esquadrão Falcão, e ocorreu a 100 Milhas Náuticas a leste de Recife.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Detalhes da Missão de Resgate

O pedido de socorro veio de um petroleiro saudita que navegava da Arábia Saudita para o Golfo dos Estados Unidos. A bordo, um tripulante ucraniano com fortes dores abdominais e suspeita de apendicite precisava de assistência médica urgente. A operação foi iniciada ao nascer do sol, com o helicóptero decolando de Recife e chegando ao local da emergência em tempo recorde.

Resgate e Atendimento Médico Eficiente

O paciente foi resgatado com sucesso às 6h30 da manhã. A equipe de resgate, junto à equipe médica a bordo do H-36 Caracal, prestou os primeiros socorros essenciais durante o translado até o Aeroporto Internacional do Recife. Após o pouso, o tripulante foi transferido para o Hospital Jayme da Fonte, onde recebeu tratamento médico especializado.

Capacidades do H-36 Caracal

O helicóptero H-36 Caracal é conhecido por sua adaptabilidade em diversas situações operacionais, incluindo resgates em ambientes desafiadores como o alto-mar. Equipado com sistemas avançados de navegação, comunicação e proteção, este modelo é ideal para missões de busca e salvamento, onde a rapidez e a eficiência são cruciais para o sucesso das operações.

Declarações do Comandante da Aeronave

Capitão Aviador Alan Dickson Brito de Medeiros, comandante da aeronave, enfatizou a importância da rapidez na execução de missões aeromédicas. “Trabalhar na salvaguarda da vida humana é um privilégio que temos nas asas da FAB, através do Esquadrão Falcão”, declarou. Ele ressaltou também a relevância dessas operações para a projeção internacional do Brasil como uma nação capaz e comprometida com obrigações humanitárias globais.

Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico Brasileiro (SISSAR)

O SISSAR, coordenado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), é essencial para a gestão de operações de busca e salvamento na vasta área de 22 milhões de km² sobre o Oceano Atlântico, responsabilidade do Brasil. O sistema COSPAS-SARSAT, parte integrante do SISSAR, é crucial para a recepção de alertas e a coordenação eficaz das missões de resgate.

Marcelo Barros, com informações da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).