No dia 8 de abril, a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) realizou uma ação significativa em Abaetetuba (PA), promovendo a segurança fluvial através da doação de 70 coletes salva-vidas. Os beneficiados foram os jovens e crianças da Escola Quilombola Santo André, situada na comunidade baixo Itacuruçá, que frequentemente utilizam embarcações como meio de transporte.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Educação e Segurança na Navegação

blank
Os estudantes receberam a doação de 70 coletes salva-vidas

Durante o evento, o Capitão de Fragata Daniel Thomaz Moraes, ajudante da CPAOR, destacou a crucialidade do uso adequado dos coletes salva-vidas. Ele orientou os estudantes sobre as práticas de segurança na navegação, enfatizando que esses equipamentos são essenciais para a prevenção de acidentes e são mandatórios segundo as Normas da Autoridade Marítima.

Participação e Apoio Comunitário

A iniciativa contou com a colaboração do Ministério Público do Pará, que reforçou a ação como um pilar de conscientização e educação para a comunidade ribeirinha. Esta parceria entre órgãos governamentais e locais visa cultivar uma mentalidade de segurança e preservação da vida humana nas águas do Pará.

Impacto da Doação

A entrega dos coletes salva-vidas é mais que um ato de doação; é um investimento na vida dos jovens estudantes que diariamente enfrentam os rios para acessar educação e outras necessidades básicas. Esta ação da CPAOR não apenas equipa a comunidade com ferramentas essenciais para uma navegação segura, mas também promove a educação sobre a importância de medidas preventivas contra acidentes fluviais.

Promovendo a Conscientização Ambiental

Além de fomentar a segurança dos navegantes, a CPAOR também está engajada na prevenção da poluição hídrica, destacando a responsabilidade de todos na proteção do ambiente aquático. Através de iniciativas como essa, a Capitania dos Portos reafirma seu compromisso com a salvaguarda da vida humana e com a sustentabilidade dos recursos naturais da região.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).