Corumbá (MS) – O Centro de Instrução de Operações no Pantanal (CIOpPan) deu início, na semana passada, ao Estágio de Operações no Pantanal. O cerimonial na madrugada foi a primeira atividade oficial do estágio. Após apresentação do turno e palavras do Comandante do 17º Batalhão de Fronteira, ocorreu o apronto operacional, momento em que a equipe de instrução avalia o nível de preparo dos instruendos. Toda a atividade ocorreu no Forte Junqueira, mantendo as tradições dos Guerreiros do Pantanal.

O estágio conduzido pelo centro de instrução tem duração de cinco semanas, com 572 horas de instrução, divididas em três fases distintas. A 1ª fase, denominada “Vida no Pantanal”, contempla as instruções voltadas para a sobrevivência no pantanal. Na 2ª fase, de “Técnicas Especiais”, são ministradas instruções de comunicações, orientação, técnicas fluviais e aeromóveis e tiro. Por fim, a 3ª fase destina-se às operações com execução de missões de patrulha no ambiente pantaneiro.

Cabe ressaltar que o Centro de Instrução de Operações no Pantanal já capacitou 1610 guerreiros do Pantanal, habilitando os militares do Exército e de nações amigas a operar nesse bioma específico.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Fonte: 17º Batalhão de Fronteira
Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).