Nos dias 19 e 20 de abril, o Comando do 3° Distrito Naval (Com3°DN) teve uma presença marcante na 1ª Etapa do Circuito Master Potiguar de Beach Tennis, realizada em Parnamirim-RN. Com um estande dedicado à promoção da Mentalidade Marítima, o Com3°DN aproveitou a ocasião para destacar a Amazônia Azul, símbolo da maritimidade e soberania brasileira no Atlântico Sul. O evento contou com a participação de mais de 200 atletas, proporcionando uma excelente oportunidade para disseminar informações sobre as responsabilidades e a importância da Marinha do Brasil (MB) na conservação e proteção das fronteiras marítimas e da biodiversidade do país.

Integração social e esporte

Segundo Rômulo de Sousa Carneiro, um dos organizadores do evento, o Beach Tennis vai além do aspecto esportivo, sendo um veículo para a integração social. “Através do esporte, a Amazônia Azul e a Marinha do Brasil conseguem alcançar um público diversificado, contribuindo para a conscientização sobre o papel vital que desempenham na conservação e proteção do nosso patrimônio marítimo e ambiental”, destacou Rômulo.

Atividades educativas no evento

blank
O uso das Comunicações Navais foi uma das atrações no estande do Com3°DN

Durante o torneio, o estande do Com3°DN foi um centro de aprendizado sobre temas navais e ambientais. Foram realizadas explanações sobre a Amazônia Azul, onde os visitantes puderam entender melhor o conceito e a extensão dessa área que é fundamental para a segurança e economia do Brasil. Além disso, curiosidades do militarismo, como o uso das semáforas nas comunicações navais e a importância da ração operativa na alimentação dos militares em situações adversas, foram temas que despertaram particular interesse entre os participantes.

Impacto e expectativas futuras

A participação do Com3°DN no evento não só fortaleceu a construção da Mentalidade Marítima entre os participantes, mas também reforçou a imagem da Marinha como uma instituição integrada à sociedade e preocupada com a educação ambiental e marítima. A expectativa é que iniciativas como essa continuem a ser desenvolvidas em outros eventos esportivos e culturais, ampliando o alcance e a profundidade do entendimento público sobre o papel estratégico da Marinha do Brasil e a preservação da Amazônia Azul.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).