A Base Aérea de Manaus (BAMN) celebrou a formação de 29 novos profissionais que concluíram o 30º Curso de Adaptação Básica em Ambiente de Selva (CABAS). Sob a orientação do Sétimo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (7º/8º GAv) – Esquadrão Harpia, o curso focou em técnicas e táticas de sobrevivência na selva amazônica. O objetivo principal é preparar os militares para resistir em situações adversas até que o resgate chegue.

Intercâmbio de Conhecimentos e Práticas

Atravessando o rio

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O CABAS não se limitou apenas à Base Aérea. Os alunos tiveram a oportunidade de visitar outras Organizações Militares, como o Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) e o Batalhão de Operações Ribeirinhas. Além disso, instituições civis, como a Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT-AM) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), também foram incluídas no programa, enriquecendo ainda mais a experiência dos participantes.

Desafios e Aprendizados na Selva

IMG 8054 scaled

Após a fase teórica em Manaus, os alunos foram desafiados na prática, sendo deslocados para o Centro de Integração e Aperfeiçoamento em Polícia Ambiental do Departamento de Polícia Federal. Durante 14 dias intensos, os participantes foram submetidos a uma carga horária de 260 horas, abordando temas como procedimentos de emergência em aeronaves, atendimento pré-hospitalar, alimentos de origem animal e vegetal, entre outros. O Tenente-Coronel Aviador Michelson Abrahão Assis destacou a importância da resiliência e habilidade na selva, reforçando que o treinamento visa preparar os militares para qualquer adversidade.

Depoimentos e História do CABAS

A Tenente Intendente Bárbara, destaque do curso, compartilhou sua experiência, ressaltando o valor do aprendizado prático e a importância de estar preparado para ajudar outros em situações de emergência. O CABAS, criado em 1996, inicialmente atendia às necessidades do Esquadrão Harpia. Com o tempo, sua relevância foi reconhecida por outras unidades da FAB, expandindo sua abrangência e impacto.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).