No dia 10 de julho, deu-se início a uma iniciativa ousada e crucial para a segurança e cooperação naval na América do Sul: a Operação “BraColPer 2023”. Esse esforço tripartite tem como meta estreitar os laços e fortalecer a interoperabilidade entre as marinhas do Brasil, Colômbia e Peru, além de aumentar a presença do Poder Naval na região da Tríplice Fronteira.

A “BraColPer” é um empreendimento que reflete a necessidade de colaboração entre os países vizinhos para garantir a segurança e estabilidade na região da Tríplice Fronteira. É uma prova do compromisso desses países em proteger suas fronteiras compartilhadas e suas populações contra ameaças potenciais.

Exercícios da Operação: enfrentando ameaças assimétricas

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

No segundo dia da operação, em 11 de julho, o Navio-Patrulha Fluvial “Raposo Tavares” e o Navio de Assistência Hospitalar “Soares de Meirelles”, ambos da Marinha do Brasil, realizaram o Exercício de Ameaça Assimétrica. Este exercício simula a aproximação, potencialmente hostil, de uma embarcação de pequeno porte ao navio.

A resposta a essa ameaça não é imediata ou extremamente agressiva, mas, em vez disso, é focada no uso gradual da força. O objetivo principal é neutralizar a ameaça potencial, priorizando a utilização de recursos não letais.

BraColPer 2023: três fases de intensa cooperação

bracolper 2023 foto1
Militares simulam ameaça ao Navio-Patrulha Fluvial “Raposo Tavares”

A “BraColPer” é dividida em três fases e ocorre entre os meses de julho e setembro nos países participantes. A operação também integra o Navio-Patrulha “Amapá” e uma aeronave do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Noroeste.

Essas fases envolvem uma variedade de exercícios e operações, destinados a melhorar a coordenação entre as marinhas participantes e a aumentar a eficiência no enfrentamento de ameaças comuns. Cada fase da operação oferece oportunidades valiosas para aprender, adaptar-se e melhorar, fortalecendo a cooperação naval na região da Tríplice Fronteira.

A importância da cooperação naval para a segurança regional

A Operação “BraColPer 2023” serve como um lembrete do papel vital que a cooperação e a interoperabilidade naval desempenham na garantia da segurança e da estabilidade na região da Tríplice Fronteira. Além disso, destaca a disposição de Brasil, Colômbia e Peru em trabalhar juntos para garantir que as águas compartilhadas sejam seguras e seguras para todos.

Em um mundo cada vez mais interconectado, ações como a “BraColPer 2023” são mais que necessárias. Elas simbolizam a cooperação e o entendimento mútuo necessários para enfrentar os desafios do século 21.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).