Subordinado ao Comando do 4º Distrito Naval, o NPa “Bocaina” está sediado em Belém (PA) - Imagem: Marinha do Brasil

No dia 6 de fevereiro, uma missão de resgate exemplar foi realizada pelo Navio-Patrulha (NPa) “Bocaina” da Marinha do Brasil (MB), marcando um momento de atuação decisiva e humanitária nas águas distantes da costa do Maranhão. O tripulante da embarcação de pesca “Franchesco JC” foi resgatado sob suspeita de ter sofrido um Ataque Isquêmico Transitório, a cerca de 650 quilômetros de São Luís (MA), numa operação que reforça o compromisso da Marinha com a preservação da vida humana no mar.

Mobilização Rápida e Eficiente

foto1 resgate
Embarcação Orgânica do NPa “Bocaina” se desloca para o resgate do enfermo – Imagem: Marinha do Brasil

Respondendo prontamente ao chamado do Serviço de Busca e Salvamento Marítimo (Salvamar Norte), o NPa “Bocaina” partiu do porto de Ponta da Espera (MA) no dia 4 de fevereiro, demonstrando a eficiência e a rapidez das Forças Navais em mobilizar recursos para atender emergências. O resgate em alto-mar foi conduzido com a precisão e o cuidado característicos das operações da Marinha, garantindo o bem-estar do pescador desde o momento do socorro até o seu desembarque para atendimento médico especializado.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Atendimento Médico Especializado a Bordo

capa resgate

A bordo do NPa “Bocaina”, o tripulante enfermo recebeu os primeiros socorros por um médico da Marinha, destacando a capacidade de atendimento médico imediato das embarcações da MB em situações de emergência. Essa pronta intervenção médica é crucial para estabilizar pacientes e prepará-los para transferências seguras a instalações de saúde terrestres.

Regresso e Continuidade do Atendimento

Após o resgate, o navio retornou a São Luís, onde uma ambulância já aguardava para transportar o pescador ao hospital, assegurando a continuidade do atendimento médico necessário. Essa operação coordenada entre a Marinha e as instituições de saúde locais reflete a sinergia entre diferentes entidades no cuidado aos cidadãos em situações críticas.

Um Compromisso com a Vida

O Comandante do Navio-Patrulha “Bocaina”, Capitão de Corveta Felipe Paranhos Carvalho, ressaltou o compromisso da Marinha em realizar o socorro de maneira célere, seguindo as normas de segurança e salvamento. Esta ação não apenas salvou uma vida mas também reiterou a importância da estrutura de Busca e Salvamento mantida pela Marinha do Brasil, capaz de responder efetivamente a emergências marítimas em toda a extensão da costa brasileira e águas interiores.

Sobre o NPa “Bocaina”

foto2 resgate
Subordinado ao Comando do 4º Distrito Naval, o NPa “Bocaina” está sediado em Belém (PA) – Imagem: Marinha do Brasil

O NPa “Bocaina”, subordinado ao Comando do 4º Distrito Naval e integrante do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, desempenha um papel crucial nas operações de patrulha e segurança marítima na região Norte do Brasil, atuando a partir de Belém (PA). Com um histórico de serviços prestados à nação, o navio reafirma a capacidade operacional e a versatilidade da Marinha do Brasil em salvaguardar as vidas humanas no mar.

Serviço de Busca e Salvamento Marítimo

Operando em uma área de responsabilidade SAR de aproximadamente 14,5 milhões de km², o SALVAMAR-Brasil é um pilar fundamental nas operações de busca e salvamento da Marinha, contando com navios, aeronaves e uma estrutura de coleta e compartilhamento de informações para localizar vítimas e embarcações em perigo. A recomendação da Marinha para o uso do aplicativo NAVSEG por navegantes ressalta a importância da comunicação e do planejamento na prevenção de acidentes e na rápida localização de embarcações em situações de emergência.

Marcelo Barros, com informações da Agência Marinha
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).