Em Brasília, o coração político do Brasil, o Destacamento Avançado do Departamento de Ciência e Tecnologia (DA-DCT) do Exército Brasileiro está empenhado em uma missão vital: assegurar que as novas viaturas militares atendam às exigências do campo de batalha moderno. Este esforço é parte de uma série de exercícios militares que têm como objetivo avaliar e aprimorar o desempenho das viaturas VBMT LSR 4X4 Guaicurus, recém-incorporadas ao arsenal das unidades mecanizadas.

Avaliação Rigorosa em Condições Reais

Snapinsta.app 400356010 350668084392614 2760215313814027727 n 1080

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Os Pelotões de Exploradores, unidades especializadas na utilização dessas viaturas, foram submetidos a um regime de testes rigorosos. As missões de reconhecimento e transposição de cursos d’água, além de exercícios de observação e localização de alvos, são apenas algumas das atividades que simulam o ambiente operacional real. Esses exercícios são fundamentais para garantir que as viaturas possam desempenhar suas funções com máxima eficiência em qualquer cenário.

Sinergia entre Tecnologia e Tática

O adestramento não se limitou ao uso isolado das VBMT LSR 4X4 Guaicurus. A integração com a Viatura Leve de Reconhecimento – ½ Ton Agrale Marruá, que já é um componente testado e aprovado do Exército, proporcionou uma oportunidade única para avaliar a interoperabilidade e a complementaridade entre diferentes sistemas de veículos.

Do Campo para a Doutrina

Os insights obtidos desses exercícios não ficarão restritos ao campo de treinamento. Eles serão cruciais para atualizar os manuais de instrução e operação das viaturas, além de influenciar diretamente as melhorias na doutrina de emprego dos Pelotões de Exploradores. Com isso, o Exército Brasileiro não apenas melhora suas capacidades atuais, mas também pavimenta o caminho para futuras inovações.

Capacitação Contínua para a Defesa Nacional

Snapinsta.app 400046190 350668094392613 1144220205674362428 n 1080

Através desses exercícios, o Exército Brasileiro reforça seu papel como uma força moderna e adaptável, pronta para enfrentar os desafios de um mundo em constante mudança. A capacidade operacional da Força Terrestre é continuamente aprimorada, assegurando que o Brasil permaneça na vanguarda da defesa e segurança em um cenário global complexo.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).