No coração da Amazônia, em Manaus, o Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) deu início a uma nova jornada para 92 militares. No dia 4 de agosto, uma solenidade marcou o começo dos Cursos de Operações na Selva (COS) destinados a Oficiais e Subtenentes e Sargentos. Este evento não apenas simbolizou o início dos cursos, mas também apresentou os novos alunos ao General de Brigada Washington Rocha Triani e ao Coronel Glauco Corbari Corrêa, figuras de destaque no Comando Militar da Amazônia.

Seleção Rigorosa para os Melhores

O caminho para se tornar um Guerreiro de Selva não é fácil. Antes de serem admitidos no curso, os candidatos enfrentaram um rigoroso Exame de Aptidão Física Definitivo, que testou suas habilidades em diversas atividades físicas, desde corridas até natação. Além disso, foram avaliados em testes teóricos e práticos de conhecimento militar. De 106 aspirantes, apenas 92 provaram estar à altura dos desafios que virão e foram considerados aptos para a matrícula.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Missão dos Guerreiros de Selva

O Comandante do CIGS, ao se dirigir aos novos alunos, destacou a essência da formação do Guerreiro de Selva. Estes militares têm a missão de disseminar conhecimento por toda a Amazônia brasileira, carregando consigo as habilidades adquiridas durante o curso e o espírito de desenvolvimento, defesa e proteção da região. A aula inaugural, ministrada pelo General de Brigada Paulo Edson Santa Barba, reforçou a importância do compromisso destes guerreiros com a defesa da Amazônia e a responsabilidade do CIGS em formar profissionais de excelência.

O Legado do CIGS

O Centro de Instrução de Guerra na Selva não apenas forma militares especializados, mas também realiza pesquisas e experimentações doutrinárias voltadas para a Defesa e Proteção da Amazônia Brasileira. A instituição é um pilar fundamental na preparação de militares para enfrentar os desafios únicos da região amazônica, garantindo que o Brasil tenha profissionais capacitados para proteger e preservar este patrimônio nacional.

article?img id=16631824&t=1691515702851
article?img id=16631825&t=1691515703046
article?img id=16631826&t=1691515703230
article?img id=16631827&t=1691515703407
article?img id=16631828&t=1691515703587
article?img id=16631829&t=1691515703773
article?img id=16631830&t=1691515703953
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).