No alvorecer deste sábado, o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Apa” zarpou da Base Naval do Rio de Janeiro rumo ao Golfo da Guiné, em uma comissão denominada “OBANGAME EXPRESS 2024/GUINEX IV”. Esta missão crucial visa não apenas reforçar a segurança marítima contra atividades ilícitas, incluindo pirataria, tráfico de drogas e de seres humanos, mas também fortalecer a cooperação entre as marinhas e guardas-costeiras de diversos países africanos e europeus. A viagem incluirá paradas estratégicas em nações como Cabo Verde, Gana, Benin, Nigéria, Costa do Marfim, Guiné-Bissau e Senegal, com o retorno ao Brasil previsto para julho.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

INTEROPERABILIDADE E DIPLOMACIA MILITAR

O Capitão de Fragata Guilherme Santos, Comandante do NPaOc “Apa”, destacou a importância dos exercícios para a diplomacia militar e a interoperabilidade. “Ao colaborar estreitamente com outras nações, o Brasil não apenas contribui para a estabilidade marítima na África Ocidental, mas também reafirma sua posição como líder regional em segurança marítima e cooperação internacional”, afirmou. Estes exercícios são essenciais para o desenvolvimento de respostas coordenadas contra ameaças transnacionais e para promover a segurança internacional.

EMOÇÕES E EXPECTATIVAS DA TRIPULAÇÃO

A partida foi marcada por emoções palpáveis entre os tripulantes e suas famílias. O Marinheiro João Marcos Coimbra Mariano, que embarca pela primeira vez em missão internacional, compartilhou suas expectativas: “É uma experiência nova e significativa, estou ansioso para contribuir e retornar com a sensação de dever cumprido”. Por outro lado, a Cabo Enfermeira Andrea Ferreira expressou seu orgulho em servir no “Apa”, ressaltando o valor da missão tanto pessoal quanto profissionalmente.

A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DO GOLFO DA GUINÉ

O Golfo da Guiné é um vértice crucial não só para a África Ocidental mas também como um corredor estratégico global devido à sua proximidade com as rotas marítimas internacionais e pela presença de recursos naturais, como petróleo. Segundo o “International Maritime Bureau”, esta região tem enfrentado os maiores índices de pirataria mundial, com ataques frequentes que comprometem a segurança e o desenvolvimento econômico local. A presença do NPaOc “Apa” é um passo significativo para o Brasil na promoção de uma região mais segura e estável, alinhada com políticas internacionais de segurança marítima.

CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO

Além dos benefícios em segurança, os exercícios e a cooperação internacional fomentam o desenvolvimento socioeconômico por meio do estabelecimento de ambientes marítimos mais seguros e regulados, essenciais para o crescimento econômico sustentável das nações envolvidas. Esta missão do “Apa” reflete o compromisso do Brasil com a cooperação internacional e a estabilidade global, elementos fundamentais para o avanço das políticas externas e de defesa do país.