Na última segunda-feira, 31 de julho, um evento marcante aconteceu nas instalações da Escola de Guerra Naval (EGN). Trata-se da Cerimônia alusiva à Data Grada da República do Peru, comemorada no dia 28 de julho. Este dia especial é a comemoração da Independência do Peru, um marco que ocorreu em 1821. A cerimônia, presidida pelo Diretor da EGN, Contra-Almirante Gustavo Calero Garriga Pires, contou com a presença de Oficiais-Alunos, representantes do Curso de Estado-Maior para Oficiais Superiores (C-EMOS); e de parte da tripulação da Escola.

Momentos de Honra e Recordação

Snapinsta.app 363785443 300335939036901 6131635287529074926 n 1080

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O Hino da República do Peru foi uma parte fundamental da cerimônia, ecoando pelas paredes da EGN. Após o hino, o Capitão de Corveta Roberto Wallace Braga Lata Junior, oficial de ligação, fez uma alocução sobre a importância da data. Ele destacou vários aspectos da história pré-colombiana do Peru e a trajetória da independência da coroa espanhola, consolidada no dia 28 de julho de 1821. O Capitão de Corveta destacou também que o Brasil e o Peru vêm estreitando relações diplomáticas desde a assinatura do Tratado de Limites entre os dois países, em 08 de dezembro de 1909.

Laços Diplomáticos e Militares entre Brasil e Peru

Essas relações diplomáticas estreitas são evidentes na cooperação entre as Marinhas de ambos os países, que atuam em operações combinadas como a BRACOLPER, BRAPER, BINACIONAL e UNITAS. Na sequência, o Capitão de Corveta Jorge Alfredo Roncalla Marin, Oficial-Aluno peruano, agradeceu a homenagem. O Diretor da EGN ressaltou os laços de amizade entre os dois países, refletidos no alinhamento existente entre ambas Marinhas, os intercâmbios, parcerias e apoios mútuos.

Valorizando a presença de Oficiais Estrangeiros na EGN

A EGN mantém uma tradição de reconhecer a relevância de ter em seus cursos Oficiais estrangeiros, representantes de Marinhas Amigas. Esta comemoração alusiva à independência do Peru é um exemplo dessa valorização. É uma maneira de reforçar os laços diplomáticos e militares e, ao mesmo tempo, celebrar a diversidade e o respeito mútuo entre nações.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).