A Equipe Netuno, da modalidade de paraquedismo, sagrou-se campeã da Etapa de Brasília, da Copa Indoor de Paraquedismo de 2022, no último sábado (11), alcançado a marca de 22,5 pontos no simulador IFLY-Brasília, feito inédito para o paraquedismo das Forças Armadas.

A participação da equipe da Marinha do Brasil no Campeonato Norte-Americano, ocorrido em fevereiro, na cidade de Raeford, nos Estados Unidos, em simuladores de 14 pés de diâmetro, garantiu uma grande preparação para a temporada Indoor no Brasil.

No Brasil existem três simuladores de 12 pés, localizados em São Paulo, Brasília e Goiânia e um de 10 pés localizado em Boituva, São Paulo. Os simuladores de 10 pés são utilizados para iniciantes, enquanto os de 12 pés permitem treinamentos e competições intermediárias, para a modalidade 4Way, onde quatro pessoas realizam evoluções pré-estabelecidas. Sendo possível a execução de cerca de 80% das manobras estabelecidas pela regra FAI (Federação de Aeronáutica Internacional).

As competições de paraquedismo Indoor, em simuladores de queda livre, vêm a cada dia evoluindo, aprimorando técnicas de voo e conquistando público. Caminhando, com grande perspectiva de ser uma modalidade olímpica em um futuro próximo.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui