Em meio às comemorações do Dia do Jornalista, é fundamental refletir sobre o impacto profundo e duradouro que o jornalismo tem na sociedade. Atuar na área da comunicação vai muito além da simples transmissão de informações. É uma arte complexa que engloba a habilidade de capturar a essência do momento, evocar sensações profundas e, acima de tudo, gerar interesse e compreensão em um público que, muitas vezes, pode estar distante dos temas abordados.

O PAPEL DO JORNALISMO NA DEFESA E SEGURANÇA PÚBLICA

O jornalismo especializado em defesa e segurança pública cumpre um papel crucial na sociedade contemporânea, especialmente em um país com as dimensões e a complexidade do Brasil. Este tipo de jornalismo não só informa o público sobre as operações e estratégias das forças armadas e órgãos de segurança mas também destaca a importância dessas instituições para a manutenção da ordem e da paz social. Através de uma linguagem acessível e técnica, os jornalistas conseguem desmistificar o universo militar e de segurança, aproximando-os da população.

A INTERLIGAÇÃO ENTRE FORÇAS ARMADAS, INDÚSTRIA E ACADEMIA

Uma das vertentes mais fascinantes do jornalismo de defesa é a exploração da tríplice hélice: a colaboração entre as forças armadas, a indústria nacional e a academia. Este modelo de cooperação tem o potencial de fortalecer a Base Industrial de Defesa (BID), promovendo o desenvolvimento tecnológico e econômico do país. Ao reportar sobre essas parcerias, os jornalistas não apenas informam, mas também evidenciam como essa interação pode resultar em avanços significativos para a nação, tanto no campo da defesa quanto no desenvolvimento econômico sustentável.

DESAFIOS SOCIAIS E A IMPORTÂNCIA DAS FORÇAS ARMADAS

No atual contexto, onde as forças armadas são frequentemente chamadas a intervir em desafios sociais complexos, desde desastres naturais até crises de segurança, o trabalho do jornalista se torna ainda mais essencial. Ao relatar essas ações, os profissionais da imprensa não só reconhecem o valor e o esforço desses militares como também reforçam a confiança da população nas instituições. Isso é especialmente relevante em momentos em que a sociedade pode estar dividida ou incerta sobre a importância e o papel das forças armadas.

Deixando claro que, neste Dia do Jornalista, celebramos não apenas os profissionais da comunicação mas também a importância de seu trabalho em fortalecer o tecido social, promover a transparência e fomentar uma compreensão mais profunda dos desafios e das soluções que enfrentamos coletivamente. Através de uma abordagem jornalística cuidadosa, ética e engajada, podemos continuar a construir uma sociedade mais informada, coesa e resiliente.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).