por MINUSTAH/ONU

Em meio a desafios crescentes, o Haiti solicitou apoio internacional, e a resposta veio rapidamente. O Conselho de Segurança das Nações Unidas, sob presidência brasileira, aprovou o envio de uma missão especial ao país caribenho. Nomeada Missão Multinacional de Apoio à Segurança (MSS), essa força terá como principal objetivo apoiar a Polícia Nacional Haitiana, combatendo ameaças que possam comprometer a paz e a estabilidade do Haiti. Com duração inicial de 12 meses, a MSS contará com a participação de diversos países, todos unidos em prol de um Haiti mais seguro.

O Papel Ativo do Brasil

O Brasil não apenas presidiu as discussões, mas também teve uma atuação destacada nas negociações sobre o mandato da missão. A aprovação da Resolução é um testemunho do compromisso brasileiro com a paz e a estabilidade internacionais. A MSS, autorizada sob o Capítulo VII da Carta das Nações Unidas, não apenas oferecerá suporte operacional, mas também trabalhará na capacitação da polícia haitiana, planejamento e realização de operações conjuntas, e proteção de infraestruturas vitais.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Desenvolvimento e Estabilidade a Longo Prazo

Mais do que medidas imediatas, o Conselho de Segurança das Nações Unidas reconhece a necessidade de abordar as causas profundas da instabilidade no Haiti. A Resolução destaca a urgência de soluções políticas, a realização de eleições gerais e, crucialmente, a promoção do desenvolvimento social e econômico. Graças à iniciativa brasileira, a importância de combater a pobreza e garantir a estabilidade a longo prazo foi enfatizada, mostrando a visão holística do Brasil sobre a situação.

Compromisso Contínuo com o Haiti

O Brasil reafirma seu compromisso com a estabilidade e o desenvolvimento do Haiti. A mensagem é clara: a comunidade internacional deve intensificar seu apoio ao Haiti, fortalecendo a promoção da segurança e do desenvolvimento. O governo brasileiro, em colaboração com outros membros do Conselho de Segurança, continuará a desempenhar um papel vital nesse processo, buscando um futuro mais promissor para o povo haitiano.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).