default

Recife (PE) – Um espetáculo de sons, poesia, luzes e participação popular. Assim foi o evento cultural comemorativo ao Bicentenário da Independência do Brasil, realizado no dia 3 de setembro, na área externa do Museu Militar do Forte do Brum, em Recife. O Entardecer Patriótico contou com a presença de um grande público, além de autoridades civis e militares, incluindo o Comandante Militar do Nordeste, General de Exército Richard.

O espetáculo reuniu, em seu primeiro ato, uma banda mista, constituída por militares do Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Militar de Pernambuco e Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco. O programa incluiu a execução dos Hinos Nacional Brasileiro e da Independência, dobrados, e músicas do cancioneiro popular, como Aquarela do Brasil, entre outras composições. A exibição de imagens nas muralhas do Forte do Brum acrescentaram mais emoção ao show.

No intervalo para a troca das orquestras, o público desfrutou da declamação do poema A Pátria, de autoria de Olavo Bilac, e da execução de um cordel sobre a história da Independência, composto pelo Tenente Anderson Santos, integrante do Comando Militar do Nordeste (CMNE).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Na segunda parte do Entardecer Patriótico, foi a vez do público apreciar a apresentação da Orquestra Sinfônica do Recife e a Orquestra Criança Cidadã, sob a regência do Maestro José Renato Accioly. O show contou com obras de compositores eruditos, como Carlos Gomes e Villa Lobos, a ícones da arte popular nordestina.Um dos momentos mais emocionantes foi a homenagem ao Maestro Duda, presente na plateia, quando se executou uma de suas obras, a Suíte Nordestina. A participação do músico Beto Hortis, em solo de sanfona durante pout-pourri de compositores nordestinos, arrancou muitos aplausos da plateia. Já em outra parte marcante do espetáculo, salvas de artilharia acompanharam a execução de O Guarani, de Carlos Gomes. Uma queima de fogos de artifício fechou o dia festivo.

O evento foi coordenado pelo CMNE e teve as parcerias institucionais do Governo do Estado de Pernambuco, Prefeitura da Cidade do Recife, Porto do Recife, Receita Federal, Grupo Moura, FHE/POUPEX e Usina Olho D´Água, vitais para a realização do espetáculo, à altura da relevância dos 200 anos da Independência do Brasil.

Fonte: CMNE

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).