No dia 5 de julho, o 2° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (EsqdHU-2) deu um passo significativo para o aprimoramento do adestramento de seus aviadores navais e operadores de console tático. Militares foram enviados ao Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval Almirante José maria do Amaral Oliveira (CIAAN) para experimentar o simulador do SH-16 Seahawk, uma ferramenta inovadora que promete revolucionar o treinamento no esquadrão.

Adestramento com o Simulador SH-16 Seahawk

A oportunidade proporcionou aos oficiais aviadores a chance de verificar a aplicabilidade do simulador na formação de novos pilotos. Aqueles que iniciarão o estágio de voo com a aeronave H225M puderam avaliar a capacidade do equipamento para a condução de voos por instrumentos e para o treinamento de CRM (Cockpit Resource Management). Enquanto isso, os operadores de radar participaram de treinamentos com militares do 1º Esquadrão de Helicópteros Antissubmarino, concentrando-se na operação do radar APS143, uma câmera infravermelha e um detector a laser para rastrear alvos.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Benefícios da Interatividade no Adestramento

Essa visita se mostrou muito mais do que uma oportunidade de experimentar uma nova tecnologia. Ela contribuiu para o adestramento da tripulação e para o aprimoramento da segurança de voo, destacando a importância da interação profissional entre os vetores aéreos. Este encontro permitiu a troca de conhecimento e experiências, um elemento essencial para o desenvolvimento e a inovação na aviação.

O Futuro da Aviação Naval Brasileira

A experiência com o simulador SH-16 Seahawk marca um momento de evolução para o EsqdHU-2 e para a Aviação Naval Brasileira como um todo. Com tecnologias inovadoras como essa, podemos esperar um futuro de grandes conquistas para o nosso esquadrão, à medida que continuam a aperfeiçoar suas habilidades e conhecimentos, sempre com o objetivo de garantir a segurança e eficiência no ar.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).