No período de 15 a 26 de março, foram realizados, no Comando de Artilharia do Exército, os testes de comunicação para a integração do Sistema Gênesis. A atividade teve a participação de profissionais da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército, do Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, do Comando de Operações Terrestres, da Indústria de Material Bélico e da empresa L3Harris.

O Sistema Gênesis é um sistema computadorizado de direção e coordenação de tiro nível brigada, que objetiva substituir os métodos tradicionais, de forma a atender às necessidades de apoio de fogo das armas de Infantaria, Cavalaria e Artilharia. Dotado de equipamentos robustecidos, apropriados para o emprego em campanha, o sistema possibilita maior precisão e um expressivo ganho de velocidade no processamento das missões de tiro, permitindo que o comandante intervenha no combate pelo fogo no momento oportuno e com munições e volumes adequados.

Esse sistema torna o apoio de fogo contínuo e preciso, realizando a centralização de todas as unidades de tiro que estão sob seu controle operacional. Além disso, o Sistema Gênesis é flexível e modular, permitindo a redistribuição de seus módulos em função das necessidades táticas. Inteiramente em português e contando com interfaces intuitivas, ele constitui uma valiosa ferramenta de adestramento e instrução, seja no terreno ou em sala de aula.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Participantes

A atividade contou com a presença do Diretor Presidente da Indústria de Material Bélico do Brasil, General de Divisão Aderico Visconte Pardi Mattioli, do Vice-Presidente da Indústria de Material Bélico do Brasil, General de Divisão Expedito Alves de Lima, do Comandante do Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, General de Brigada Ivan Sousa Corrêa Filho, do Comandante de Artilharia do Exército, General de Brigada Marcelo Gurgel do Amaral Silva, do Gerente do Programa Estratégico do Exército – Obtenção da Capacidade Operacional Plena, General de Brigada Dênis Taveira Martins, do Gerente do Projeto Integração Gênesis, General de Brigada Amadeu Martins Marto, do representante do Comando de Operações Terrestres, Coronel de Artilharia Moises da Paixão Junior, e de representantes das empresas Imbel, L3Harris e de militares da Companhia de Comando e Controle do Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército.

Durante todo o transcurso da atividade, todas as diretrizes, orientações e medidas de combate à pandemia causada pelo coronavírus foram respeitadas.

Fonte: Cmdo Art Ex
Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).