wagner group

O fundador do grupo de mercenários russos Wagner, Yevgeny Prigozhin, anunciou hoje que suas tropas receberam abastecimentos de munições para intensificar a luta na Ucrânia. As declarações foram feitas após uma reunião com líderes do exército russo. A notícia surge no mesmo dia em que os serviços britânicos de inteligência alertaram para novos combates nas cidades de Vuhledar e Bakhmut, um dia antes do primeiro aniversário da guerra na Ucrânia.

Prigozhin tem liderado a batalha da Rússia pela cidade de Bakhmut, na região ucraniana de Donetsk, mas tem uma rivalidade de longa data com os chefes militares da Rússia. Esta semana, acusou-os de negarem munições aos mercenários por motivos pessoais.

As declarações de Prigozhin sobre o fornecimento de munições surgem no mesmo dia em que um relatório dos serviços de inteligência do Reino Unido alertou que a Rússia está se preparando para uma ofensiva em Vuhledar, cidade do Leste da Ucrânia. Segundo o relatório, Vuhledar tem sido alvo de fortes bombardeios e os combates já chegaram à cidade de Bakhmut, onde o Grupo Wagner tem maior presença.

Os analistas políticos ocidentais destacam que Prigozhin, figura de cargo não oficial, assumiu uma importância sem precedentes nas ações internacionais de Moscou. O fundador do Grupo Wagner é considerado um “empresário da violência”, que vem do meio criminoso e sempre usou a violência retórica e física para alcançar seus interesses.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).