As Fragatas “Independência” e “União” zarpam da Base Naval do Rio de Janeiro com destino ao porto de Mar del Plata, na Argentina. Essa movimentação marca o início da participação brasileira na Operação “Fraterno XXXVI”, uma missão conjunta que visa estreitar os laços entre as Marinhas do Brasil e da Argentina. O objetivo principal é aprimorar a interoperabilidade entre as forças navais dos dois países, reforçando, assim, os laços de cooperação e amizade.

Composição e Objetivos da Missão

O Submarino “Tikuna”, que já havia partido do Rio de Janeiro no início de agosto, se integrará ao Grupo-Tarefa (GT) brasileiro. Além das embarcações, o GT contará com a presença de aeronaves embarcadas nas fragatas, incluindo um AH-11B Wild Lynx e um UH-12 Esquilo. Adicionalmente, duas aeronaves de interceptação e ataque AF-1 Skyhawk se juntarão à operação, operando diretamente da Base Aérea de Florianópolis.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

imagem 2023 08 09 060310386

A Operação “Fraterno XXXVI” é composta por uma série de exercícios entre navios e aeronaves, simulando situações reais de emprego do Poder Naval. Dentre as atividades previstas estão: navegação em condições de baixa visibilidade, operações sob ameaças aéreas e de superfície, treinamentos com submarinos e diversas outras manobras que visam aprimorar as habilidades das tripulações.

Promovendo a Paz e Cooperação no Atlântico Sul

Mais do que simples exercícios militares, a Operação “Fraterno” tem um significado profundo para a região. Ela contribui diretamente para o fortalecimento da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS), um fórum que conta com a participação de Brasil e Argentina, entre outros países. O principal objetivo da ZOPACAS é promover a cooperação regional e garantir a manutenção da paz e da segurança no Atlântico Sul.

Participação Brasileira e Próximos Passos

Sob o comando do Contra-Almirante Nelson de Oliveira Leite, o Grupo-Tarefa brasileiro na Operação “Fraterno” é composto por 573 militares dedicados. Durante a missão, o grupo visitará os portos de Rio Grande (RS), Itajaí (SC) e Mar del Plata, fortalecendo ainda mais os laços entre Brasil e Argentina e reafirmando o compromisso conjunto de manter a paz e a cooperação na região.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).