Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, destacou a relevância da Amazul para a Marinha e para o País

A nova Diretoria Executiva da Amazul foi apresentada, no dia 23 de agosto, em solenidade presidida pelo Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, que em seu discurso destacou a relevância da empresa para a Marinha e o País, por aproveitar “as oportunidades que a Nação tem de utilizar a energia nuclear para fins pacíficos” e atuar em diferentes empreendimentos nucleares.

Ao falar em nome da Diretoria Executiva, o Diretor-Presidente Newton de Almeida Costa Neto destacou que uma das prioridades de sua gestão é a valorização dos empregados, por meio da oferta de oportunidades para seu crescimento pessoal e profissional e da melhoria contínua das condições de trabalho e da qualidade de vida. “Ao mesmo tempo, estamos empenhados em fortalecer cada vez mais a gestão e a governança, adotando as melhores práticas do mercado e aperfeiçoando os controles, o monitoramento de riscos, as normas de conformidade e o programa de integridade”, acrescentou.

Estiveram presentes à solenidade o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim, o ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, almirantes, ex-dirigentes da Amazul, integrantes do Conselho de Administração, presidentes da Nuclebras Equipamentos Pesados (Nuclep), da Eletronuclear e da Indústrias Nucleares do Brasil (INB), representantes do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) e da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen), empresários, representantes da comunidade acadêmica e autoridades dos três poderes das esferas federal, estadual e municipal.

O Ministro e Membro do Conselho de Administração da Amazul Paulo Alvim afirmou que “o setor de tecnologia nuclear nunca foi tão estratégico para o País, não só para a geração de energia limpa, como também para outros empreendimentos para garantir a qualidade de vida dos brasileiros”. Ao citar a Amazul, ressaltou: “Tive a oportunidade de perceber que este grupo de brasileiras e brasileiros faz o melhor da aplicação da tecnologia nuclear no Brasil”.

Em seu discurso, o ex-Diretor-Presidente Antônio Carlos Soares Guerreiro agradeceu o apoio que recebeu na empresa. “Se tive algum sucesso no cargo que ocupei, isso se deve à qualidade de todos os mais de 1600 empregados que aqui trabalham. Aprendi muito mais com todas as senhoras e senhores do que pude ensinar. E aqui deixo inúmeros amigos que admiro pelo profissionalismo, lealdade e amor por essas paredes enferrujadas. Não poderia nominar todos aqueles que de alguma forma me ajudaram, direta ou indiretamente, mas tenham a certeza de que os tenho na maior estima e consideração”.

O Diretor-Presidente da Amazul, Newton de Almeida, apresentou aos convidados os integrantes da Diretoria Executiva: Carlos Alberto Matias, Diretor Técnico; Valter Citavicius Filho, Diretor de Gestão do Conhecimento e Pessoas; e o Contra-Almirante Sérgio Ricardo Machado, Diretor de Administração e Finanças.

Newton de Almeida homenageou Ney Zanella dos Santos, primeiro Diretor-Presidente da Amazul, “que teve em suas mãos o desafio de implementar a estrutura administrativa e operacional na criação da empresa”. Sobre Antônio Carlos Soares Guerreiro, ressaltou: “Sou testemunha do seu trabalho e posso atestar que em seu mandato consolidou os alicerces da gestão e da governança que sustentam a Amazul, conduzindo a empresa a um alto nível de maturidade e competência técnica, que hoje é reconhecido pelos órgãos controladores e pelos nossos pares no mercado, principalmente no setor nuclear. Há que se destacar a capacidade de liderança e o clima de camaradagem criado na Amazul, fato facilmente observado junto aos empregados por diversas demonstrações de respeito, apreço e amizade”.

blank
Diretor-Presidente da Amazul, Newton de Almeida Costa Neto,
falou sobre os programas e projetos em que a empresa atua

O Diretor-Presidente da Amazul demonstrou que a Amazul, que completou nove anos agora em agosto, está assumindo cada vez mais responsabilidades no Programa Nuclear da Marinha (PNM) e no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e aumentando sua participação no Programa Nuclear Brasileiro. Entre outros programas e projetos em que atua, citou o Reator Mutipropósito Brasileiro, cujo projeto detalhado foi concluído em 2021; a modernização do Centro de Radiofarmácia do Ipen; a extensão da vida útil de Angra I, em parceria com a Eletronuclear; e a ampliação da Usina Comercial de Enriquecimento de Urânio (Uceu), com a INB. Citou ainda as tratativas com o Ministério da Agricultura e com o Ipen para a criação de centros de irradiação de alimentos e com o Instituto do Coração (Incor) para o desenvolvimento de um motor para o Dispositivo de Assistência Ventricular (DAV), que ajuda a bombear o sangue para o coração de pacientes com insuficiência cardíaca.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui