Em um movimento estratégico para fortalecer a defesa europeia, a Leonardo, empresa italiana, e a KNDS, conglomerado franco-alemão de defesa, assinaram um acordo com o aval do Ministério da Defesa da Itália. Este acordo tem como objetivo o desenvolvimento de um programa de cooperação intensivo para criar um Grupo de Defesa verdadeiramente europeu e cooperar mais estreitamente no campo da tecnologia eletrônica terrestre.

Cooperação em Tecnologia de Defesa e Plataformas Blindadas

Esta parceria estratégica permitirá a implementação de programas de cooperação entre nações europeias, fortalecendo as bases industriais nacionais e desenvolvendo a próxima geração de plataformas de veículos blindados. Isso inclui o Main Ground Combat System (MGCS), um projeto-chave para o futuro da defesa terrestre na Europa.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Conformidade com Estratégias e Planos de Defesa

O acordo está em linha com a estratégia definida pelo Ministério da Defesa italiano no Documento Programmatico Difesa 2023-2025 e complementa o Plano de Ação do Acordo recentemente assinado entre os governos da Itália e da Alemanha.

Desenvolvimento Conjunto do Main Battle Tank

Leonardo e KNDS também colaborarão no desenvolvimento, fabricação e manutenção da solução LEOPARD 2 A8, um programa planejado de aquisição do Main Battle Tank (MBT) para o Exército Italiano. Este projeto fortalece a aliança entre as empresas e promove o desenvolvimento conjunto de plataformas de suporte.

Objetivo de Ampliar Capacidades de Produção e Desenvolvimento

A aliança entre a Leonardo e a KNDS visa aumentar as capacidades de produção e desenvolvimento na Itália, visando futuros projetos europeus e de exportação. Essa colaboração é um marco significativo na indústria de defesa europeia, promovendo inovação e cooperação transnacional.

Renovação das Forças Terrestres Italianas

O Ministério da Defesa da Itália está atualmente engajado em dois grandes programas para renovar suas forças terrestres: a aquisição do MBT LEOPARD com veículos de apoio e novos veículos de combate de infantaria (IFV) sob o programa AICS, além de sistemas de apoio ao combate. Esses programas são vitais para a modernização e aprimoramento das capacidades militares do país.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).