Entre os dias 21 e 29 de fevereiro, uma ação coordenada pelo Comando do 1º Distrito Naval (Com1ºDN), em parceria com a Diretoria de Portos e Costas (DPC) e o Comando de Operações Marítimas e Proteção da Amazônia Azul (COMPAAz), marcou um período significativo para a Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES). Esta Verificação de Proficiência (VP) não foi apenas uma revisão de rotina, mas um esforço concentrado para assegurar que as operações marítimas sob sua jurisdição atendam aos mais altos padrões de segurança e eficiência.

Etapas Cuidadosamente Planejadas para Garantir a Qualidade

blank

A avaliação foi meticulosamente dividida em etapas à distância e presenciais. Inicialmente, focou-se na revisão administrativa, essencial para a organização e planejamento eficazes. Posteriormente, a equipe avançou para a fase presencial, que incluiu exercícios práticos e adestramentos, fundamentais para validar a preparação e a resposta da CPES a diferentes cenários operacionais. Essa abordagem dupla garantiu uma avaliação abrangente das capacidades da Capitania.

Foco em Equipamentos e Adestramento

Um aspecto crítico dessa verificação foi a análise detalhada da dotação de equipamentos, suas condições de uso e manutenção. A qualidade e a prontidão dos equipamentos são vitais para a eficácia das operações marítimas, especialmente no que tange ao Sistema de Segurança do Tráfego Aquaviário (SSTA). Além disso, o nível de adestramento da Organização Militar (OM) foi avaliado, reforçando a importância da preparação contínua da equipe para enfrentar desafios operacionais complexos.

Compromisso com a Segurança Marítima

Durante a visita, temas como acompanhamento do tráfego marítimo, segurança da navegação e aspectos do Sistema de Busca e Salvamento (SAR) foram explorados, evidenciando o comprometimento da CPES com a manutenção dos padrões de segurança marítima. Esta verificação de proficiência ressalta o esforço contínuo da autoridade marítima em garantir a segurança de todos os que navegam nas águas capixabas, reafirmando seu papel vital na proteção da vida e na promoção do desenvolvimento sustentável do setor marítimo.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).