blank

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), administradora dos Portos do Rio de Janeiro, Itaguaí, Niterói e Angra dos Reis, recebeu o “Prêmio Portos + Brasil” do Ministério da Infraestrutura (MInfra) pela terceira colocação na categoria “Avanço do Índice de Gestão da Autoridade Portuária (IGAP)”. A cerimônia que marcou a terceira edição da premiação, em reconhecimento à excelência de todo o setor portuário, aconteceu na noite de quinta-feira (23), no Clube Naval, em Brasília.

A categoria Avanço IGAP foi novidade no evento deste ano e avaliou os desempenhos no IGAP, que considera indicadores financeiros, contábeis, de transparência administrativa, estrutura organizacional, regularidade tributária e trabalhista, manutenção dos acessos aquaviários, entre outros. O primeiro lugar da categoria foi para a Sociedade Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (SOPH-RO) e a segunda posição ficou com a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O diretor-presidente da Docas do Rio, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, e o diretor de Negócios e Sustentabilidade, Jean Paulo Castro e Silva, prestigiaram a solenidade ao lado de representantes do Governo Federal e gestores dos portos públicos e de terminais privados de todo o país. “A premiação reconhece o alto nível técnico na gestão da Docas do Rio, cada vez mais alinhada às melhores práticas, e o trabalho incansável dos empregados da companhia, dos arrendatários e demais parceiros da comunidade portuária do Rio de Janeiro, comprometidos com a excelência dos serviços prestados em nossos portos. Parabéns a todos os envolvidos pela conquista”, declarou o presidente Laranjeira.

O “Prêmio Portos + Brasil” é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA/MInfra), que criou a premiação como forma de avaliar o setor portuário e estimular a busca permanente de excelência na gestão dos portos públicos e terminais privados do Brasil. Além do Avanço no Igap, na edição deste ano, também foram contempladas as seguintes categorias: Execução de Investimentos Planejados; Variação do Lucro Operacional (margem Ebitda); Ranking do Índice de Gestão da Autoridade Portuária (Igap); Crescimento da Movimentação Portos Públicos; Crescimento da Movimentação Granel Sólido Agrícola; Crescimento da Movimentação Granel Sólido Mineral; Crescimento da Movimentação Granel Líquido; e Crescimento da Movimentação Container.