Claudio Nascimento, Marcos Vogel e Leonildo Iack, da Atech, fazem demonstração do GDI nos exercícios do 2° Drone Policial, em Foz do Iguaçu (PR)

No coração da área turística de Foz do Iguaçu, um exercício de simulação de ameaça terrorista revelou a potência da tecnologia nacional no combate ao crime. A Atech, integrante do Grupo Embraer, protagonizou o evento 2º Drone Policial, demonstrando como sua plataforma Gerenciamento de Incidentes (GDI) integra eficazmente recursos e sistemas para uma resposta rápida e coordenada a emergências. Este sistema permitiu uma visão abrangente do cenário em tempo real, destacando a importância da inovação tecnológica na segurança pública.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Simulação como Campo de Testes

Claudio Nascimento, Gerente Comercial da Atech, fala sobre a plataforma GDI antes do início do exercício que simulou uma operação antiterrorismo no 2°Drone Policial, em Foz do Iguaçu

A simulação, ocorrida nas proximidades de locais de relevante movimentação econômica e turística, como a Ponte da Integração e o Marco das Três Fronteiras, pôs em prática o uso do Aplicativo Móvel e do Aplicativo Vídeo da Atech. Juntamente com imagens captadas por drones, as ferramentas garantiram o monitoramento preciso do terreno, provando ser indispensáveis no rastreamento e na gestão de incidentes. Cláudio Trapaga F. Nascimento Filho, gerente comercial da Atech, ressaltou a eficiência do GDI, que proporcionou vantagens estratégicas inquestionáveis para a prevenção e o combate ao terrorismo.

Feedback Positivo dos Especialistas

Wilner Lopes, coordenador do exercício e instrutor de pilotagem de RPAs da Polícia Militar do Estado de São Paulo, enfatizou o sucesso do simulado. A aprovação unânime dos participantes, incluindo policiais de todo o Brasil e representantes internacionais, reforça o papel vital da tecnologia na evolução das práticas de segurança. A versatilidade do GDI, segundo Claudio, abre portas para sua aplicação em diversas outras áreas, prometendo revolucionar a maneira como operações críticas são planejadas e executadas.

O Impacto do 2º Drone Policial

Este seminário, além de ser uma vitrine para as mais recentes inovações em tecnologia aplicada à segurança, tornou-se um importante ponto de encontro para a troca de conhecimentos e experiências no uso de drones. A integração de diferentes forças de segurança, aliada ao compartilhamento de práticas inovadoras, destaca o evento como um marco no fortalecimento das capacidades nacionais de defesa e segurança.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).