O Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC), sob a coordenação do Centro de Operações de Paz de Caráter Naval (COpPazNav), deu início à segunda edição do United Nations Staff Officers Course. Esta etapa presencial, realizada de 8 a 12 de abril, é parte de um programa robusto destinado a preparar oficiais militares para contribuir eficazmente em missões de paz das Nações Unidas. O curso atraiu a participação de 40 alunos, incluindo 21 oficiais da Marinha do Brasil, 9 da Força Aérea Brasileira e 10 de Nações Amigas.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Diversidade e Enrichcimento Cultural

A presença de militares de países como Alemanha, China, Emirados Árabes Unidos, Marrocos, México e Nigéria enriquece significativamente o curso. Esses participantes internacionais trazem perspectivas únicas que favorecem um ambiente de aprendizado diversificado e inclusivo, crucial para o entendimento das dinâmicas globais em missões de paz.

Estrutura do Curso

O United Nations Staff Officers Course é dividido em duas fases: uma fase de ensino a distância, que ocorreu de 1º a 5 de abril, e a fase presencial que se concentra em atividades práticas e discussões acadêmicas. Os temas abordados incluem estratégias de segurança internacional, procedimentos operacionais padrão das Nações Unidas, e habilidades essenciais em liderança, planejamento e tomada de decisão em ambientes complexos e desafiadores.

Objetivos e Impacto do Treinamento

O curso visa não apenas aprimorar as capacidades técnicas e táticas dos oficiais mas também prepará-los para enfrentar os desafios das missões de paz com eficiência e responsabilidade. A iniciativa reflete o compromisso da Marinha do Brasil e do Corpo de Fuzileiros Navais em promover a cooperação internacional e contribuir para a paz e segurança globais.

Perspectivas Futuras

A realização deste curso pelo CIASC e COpPazNav sublinha a importância da preparação adequada dos militares para operações internacionais de paz. Além de fortalecer os laços diplomáticos, esses programas asseguram que os profissionais estejam bem equipados para lidar com as complexidades das intervenções globais, promovendo uma atuação mais eficaz e coordenada nas missões da ONU.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).