Em um evento promovido pelo Instituto Brasil Digital em São Paulo, no dia 22 de abril, a AMAZUL foi reconhecida com o prêmio Brasil Digital Ozires Silva na modalidade Aprendizado, categoria Ouro. A premiação destaca a plataforma digital de Educação Corporativa e Gestão do Conhecimento e Pessoas, desenvolvida através do Centro de Treinamento AMAZUL (CTA).

Desenvolvimento de competências para programas estratégicos

O Diretor-Presidente da AMAZUL, Newton Costa, presente à cerimônia, enfatizou a importância desta conquista para a empresa. “Essa conquista representa um reconhecimento significativo para a empresa, destacando nosso compromisso com a excelência e a inovação”, afirmou. O prêmio também valida a eficácia do CTA no desenvolvimento das competências e habilidades necessárias para apoiar o Programa Nuclear da Marinha, o Programa Nuclear Brasileiro e o Programa de Desenvolvimento de Submarinos.

História e expansão do CTA

O CTA surgiu como uma ampliação do Centro de Treinamento Técnico (CTT), uma plataforma digital interativa criada pelos empregados da Diretoria Técnica em 2020 para atender às diretrizes estabelecidas por órgãos regulatórios como a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). A eficácia do CTT na gestão de treinamentos levou a diretoria a ampliar o alcance da plataforma. Hoje, o CTA oferece mais de 300 treinamentos por meio de trilhas de aprendizagem para desenvolvimento de competências e habilidades, com mais de 10.000 treinamentos já concluídos pelos empregados. Além disso, a AMAZUL iniciou um projeto para expandir o CTA aos empregados que exercem atividades fora da sede da empresa, nas Organizações Militares da Marinha do Brasil.

Impacto na cultura de ensino-aprendizagem

O engajamento das pessoas foi um fator determinante para o sucesso do CTA, promovendo uma cultura de ensino-aprendizagem que tem impactado diretamente o nível de maturidade técnica das equipes e a Gestão do Conhecimento da empresa.

Presença de lideranças na cerimônia

A cerimônia de premiação contou com a presença de líderes importantes da AMAZUL e do setor nuclear, incluindo o Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Alexandre Rabello de Faria, o Diretor de Gestão do Conhecimento de Pessoas, Valter Citavicius Filho, e a Gerente de Desenvolvimento de Pessoas, Daniela Amorim Ferreira.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).