Há 80 anos, a cidade de São João Del Rei testemunhou um evento histórico e emocionante, marcando a despedida do 11º Regimento de Infantaria (RI), que estava prestes a lutar na 2ª Guerra Mundial. Em 14 de fevereiro de 1944, um mês antes da partida dos militares para a cidade do Rio de Janeiro, onde se juntariam à Força Expedicionária Brasileira (FEB), uma missa campal foi realizada na Praça Francisco Neves, próxima à igreja de Nossa Senhora das Mercês. A cerimônia foi celebrada pelo Monsenhor José Maria Fernandes e contou com a presença de familiares dos militares, membros da comunidade e representantes de diversas camadas sociais.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Oração Comovida e Simbolismo Profundo

O ato cívico-religioso foi marcado por uma oração emocionante proferida pelo Monsenhor Fernandes, que ressaltou a união entre fé e patriotismo, tocando profundamente todos os presentes. As palavras do Monsenhor expressaram o significado profundo dos militares para a comunidade de São João Del Rei, enfatizando sua importância não apenas como defensores da nação, mas como membros vitais da própria cidade.

Mensagem de Coragem e Esperança

A missa campal foi um momento de homenagem e despedida, onde Monsenhor Fernandes encorajou os soldados do 11º RI com palavras de força e esperança: “Ide lutar pela grandeza e pela honra do Brasil. Partí para a Vitória!” Essas palavras ecoaram não apenas entre os militares e seus familiares, mas também na memória coletiva da cidade, simbolizando o espírito de sacrifício e o compromisso com a nação.

Lembrança Duradoura e Honra ao 11º RI

Oitenta anos após essa cerimônia simbólica, a missa campal e as palavras proferidas continuam a ser uma lembrança poderosa do papel do 11º Regimento de Infantaria na história brasileira e na 2ª Guerra Mundial. Este evento serve como um tributo duradouro à coragem e ao espírito patriótico dos soldados e da comunidade de São João Del Rei.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).