A chegada do navio-veleiro “Cisne Branco” ao Porto de Maceió, no bairro Jaraguá, transcendeu a expectativa de ser um mero evento de exibição. Este ícone da Marinha do Brasil não só demonstrou sua imponente beleza e valor histórico mas também agiu como um catalisador para o despertar de um fascínio pela vida marítima, especialmente entre crianças e adolescentes. A possibilidade de vislumbrar de perto as operações e a elegância deste majestoso veleiro abriu novos horizontes para a juventude local, provocando um interesse genuíno pelas carreiras navais e pelo vasto azul que define nosso litoral.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Um Recorde de Visitações

blank

Durante o final de semana em que o “Cisne Branco” esteve aberto ao público, a Capitania dos Portos de Alagoas (CPAL) testemunhou um fenômeno sem precedentes: mais de 10.000 visitantes cruzaram as passarelas do veleiro, estabelecendo um novo recorde de participação comunitária. Esse número impressionante não apenas reflete o orgulho e o interesse crescente da população de Maceió pela Marinha e seus navios mas também sugere uma conexão mais profunda e respeitosa com o mar, elemento tão intrínseco à nossa cultura e defesa nacional.

Inspiração para a Juventude

O entusiasmo com que o público mais jovem explorou o “Cisne Branco” foi um espetáculo à parte. O brilho nos olhos das crianças e adolescentes, enquanto caminhavam pelo convés e interagiam com os marinheiros, revelou um potencial incrível para o futuro. Este contato direto com a realidade da vida marinha e a oportunidade de se verem como parte dessa história vital são fundamentais para inspirar a próxima geração de marinheiros, que um dia contribuirão com suas próprias histórias e esforços para a segurança e o desenvolvimento do Brasil.

O Papel do “Cisne Branco” na Diplomacia e Educação

Construído para comemorar os 500 anos do descobrimento do Brasil, o “Cisne Branco” carrega em suas velas não apenas a história, mas também uma missão de diplomacia e relações públicas. Sua participação em eventos náuticos ao redor do mundo não é somente uma representação do Brasil no cenário internacional; é também uma afirmação de nossos valores, força e dignidade. A passagem deste veleiro por Maceió reafirma o orgulho nacional e fortalece a consciência sobre a importância estratégica da Marinha, ressaltando o papel vital que o mar desempenha em nossa identidade e sobrevivência como nação.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).