A vastidão e a beleza da Amazônia sempre despertaram a curiosidade e o fascínio de muitos brasileiros. No entanto, nem todos têm a oportunidade de conhecer de perto essa região tão rica e diversificada. Pensando nisso, Luciano Huck, renomado apresentador da Rede Globo, aceitou o convite do Exército Brasileiro para embarcar em uma jornada pela região amazônica do Oiapoque, localizada no estado do Amapá. A ideia central dessa expedição? Levar a Amazônia até os lares brasileiros através da televisão, permitindo que milhões de pessoas possam conhecer e se encantar por essa região sem sair de casa.

Ação Cívico-Social: O Coração da Expedição

Mais do que apenas uma viagem exploratória, a visita de Luciano Huck teve um propósito muito especial. Ele e sua equipe tiveram a chance de testemunhar e participar de uma ação cívico-social promovida pelas tropas do Comando de Fronteira Amapá/34º Batalhão de Infantaria de Selva. Essa ação foi realizada na comunidade indígena do Manga, onde os militares desenvolvem projetos e atividades que visam melhorar a qualidade de vida dos habitantes locais, fortalecendo os laços entre o Exército e as comunidades indígenas.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Amazônia Através das Lentes da Televisão

Para Luciano Huck, essa experiência foi uma forma de mostrar aos brasileiros a importância da Amazônia e das comunidades que ali residem. A televisão, nesse contexto, torna-se uma ferramenta poderosa de educação e conscientização. Ao transmitir imagens e histórias da região, o apresentador espera inspirar o público a valorizar e proteger esse patrimônio nacional, reconhecendo a relevância das ações do Exército na região.

Uma Jornada de Aprendizado e Inspiração

A visita de Luciano Huck ao Oiapoque não foi apenas uma aventura televisiva, mas uma oportunidade de aprendizado e reflexão. Ao testemunhar o trabalho do Exército e interagir com as comunidades locais, o apresentador pôde compreender a profundidade e a complexidade da relação entre os brasileiros e a Amazônia. E, através de sua plataforma televisiva, ele tem o poder de compartilhar essa experiência com milhões, inspirando uma nova geração a valorizar e proteger esse tesouro nacional.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).