No período de 17 a 19 de outubro, a Escola Naval do Peru foi palco do VI Simpósio Internacional de Segurança e Defesa, com o tema “War Games: An Educational Analytical Tool for Planning and Decision Making”. O evento, organizado pela Escola Superior de Guerra Naval do Peru, em parceria com a Universidade Helmut-Schmidt de Hamburgo e a Escola Superior das Forças Armadas da República Federal da Alemanha, reuniu professores, pesquisadores e autoridades civis e militares de várias nações para explorar o uso de jogos de guerra como ferramentas educacionais.

Um Encontro Global de Especialistas

Snapinsta.app 396733949 1292181091481811 1618652916109095976 n 1080

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O simpósio contou com a presença de renomados especialistas em design e aplicação de jogos de guerra em uma ampla gama de contextos. Além dos participantes acadêmicos, diplomatas e representantes de universidades e entidades civis de várias nacionalidades também se juntaram ao evento.

A Contribuição da Marinha do Brasil

Snapinsta.app 395645260 988041768952462 8482296343140803175 n 1080

A Marinha do Brasil teve uma representação significativa no simpósio, com o Diretor da Escola de Guerra Naval, Contra-Almirante Gustavo Calero Garriga Pires, fazendo uma apresentação sobre “O Emprego dos Jogos de Guerra na Marinha do Brasil”. Além disso, o Capitão de Mar e Guerra (RM1) Marcelo William Monteiro da Silva, Encarregado do Centro de Jogos de Guerra, participou ativamente do evento.

Jogos de Guerra na Tomada de Decisões

Durante o simpósio, diversos aspectos dos jogos de guerra foram discutidos, com foco em como eles podem ser usados como ferramentas educacionais para o planejamento e a tomada de decisões em assuntos relacionados à segurança e defesa. A aplicação prática desses jogos foi explorada, demonstrando como eles podem contribuir para o desenvolvimento de estratégias eficazes em uma variedade de cenários.

Esse simpósio internacional não apenas enriqueceu o diálogo global sobre segurança e defesa, mas também destacou a importância dos jogos de guerra como instrumentos educacionais valiosos na formação de estrategistas e tomadores de decisões em defesa em todo o mundo.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).