Saúde mental em operações de paz da ONU

Enfrentando o estresse, trauma e PTSD entre o pessoal de campo

blank
Soldado de paz da ONU guardando a base operacional temporária da Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO) em Mpati, Kivu do Norte, 2012. Alexis Guidotti.

Por Namie Di Razza da International Peace Institute

Os ambientes desafiadores onde muitas operações contemporâneas de paz da ONU são implantadas podem prejudicar a saúde mental tanto do pessoal civil quanto do uniforme. Isso aumentou a atenção às questões relacionadas à saúde mental em operações de paz e, em 2018, a ONU fez da saúde mental e do bem-estar uma prioridade de todo o sistema. No entanto, dois anos depois, ainda há muito a ser feito para melhorar a saúde mental nas missões da ONU.

Este artigo analisa a prevalência do transtorno de estresse pós-traumático (PTSD) e outros problemas de saúde mental entre militares, policiais e civis das operações de paz da ONU. Ele analisa os tipos de estressores e fatores psicológicos que afetam o pessoal em campo, explora os desafios políticos e institucionais para incutir mudanças e analisa a resposta da ONU às necessidades de saúde mental do pessoal de campo. Conclui com recomendações para a ONU garantir seu dever de cuidar do pessoal de campo:

  • Elevando o perfil da saúde mental nas operações de paz da ONU : O Secretariado e os Estados membros devem lançar luz sobre as difíceis condições enfrentadas pelo pessoal de manutenção da paz e avaliar melhor a prevalência de problemas de saúde mental entre o pessoal; esforce-se para reduzir o estigma associado à saúde mental; e chegar a uma compreensão clara de seus papéis e responsabilidades no apoio às necessidades de saúde mental.
  • Fornecendo mais apoio pré-implantação : É necessário treinar e sensibilizar o pessoal sobre como reconhecer problemas de saúde mental, sintomas e mecanismos de enfrentamento. O treinamento de preparação e pré-implantação em PTSD, trauma e saúde mental deve ser baseado em padrões mínimos para que todos os contingentes estejam igualmente preparados e equipados.
  • Fortalecimento do apoio durante o desdobramento : A Secretaria e os Estados membros devem cumprir seu dever de cuidar do pessoal em missões, inclusive fomentando uma cultura de atenção, oferecendo apoio psicossocial adequado e melhorando os arranjos de recursos humanos.
  • Continuando a fornecer apoio pós-destacamento: A ONU e os estados membros devem reconhecer que seu dever de cuidado não termina depois que o pessoal de campo retorna do destacamento. Eles devem continuar fazendo o acompanhamento com o ex-pessoal para garantir que estão recebendo o apoio psicossocial de que precisam por meio de estruturas e recursos dedicados.

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui