No coração do Pantanal, um bioma de imensurável valor ecológico e cultural, uma iniciativa inovadora da Marinha do Brasil (MB), em colaboração com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e secretarias de saúde locais, está fazendo história. O Projeto Navio (Navegação Ampliada para Vigilância Intensiva e Otimizada) representa um marco no estudo e no atendimento de saúde nas comunidades ribeirinhas, cruzando os estados de Mato Grosso (MT) e Mato Grosso do Sul (MS).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Jornada pelo Rio Paraguai

Atendimentos foram destinados a crianças e adultos – Imagem: CB-RM2-TE Benites

Durante 32 dias de navegação pelo rio Paraguai, uma frota composta pelo Navio de Apoio Logístico Fluvial “Potengi”, pelo Navio Transporte Fluvial “Paraguassu” e pelo Navio de Assistência Hospitalar “Tenente Maximiano” percorreu 1.325 km, visitando oito comunidades ribeirinhas. Este esforço conjunto proporcionou a 498 pessoas acesso a serviços médicos, odontológicos e laboratoriais essenciais, que de outra forma seriam inacessíveis devido à remota localização dessas comunidades.

Integração de Saúde Única

O Projeto Navio é uma encarnação prática do conceito de Saúde Única, que reconhece a interdependência da saúde humana, animal e ambiental. Coletando amostras de sangue, fezes e água, os pesquisadores a bordo realizaram análises laboratoriais e sequenciamento genético para identificar patógenos virais e bactérias. Este trabalho não apenas visa melhorar a saúde das comunidades visitadas mas também contribui para a pesquisa científica global, mapeando os impactos das mudanças climáticas na saúde pública.

Resultados Promissores e Desafios Revelados

Laboratório montado no NApLogFlu “Potengi” – Imagem: 1T (RM2-T) Melina Isquierdo

Os resultados são reveladores: mais da metade das amostras de água analisadas mostraram-se impróprias para consumo, e 75% das amostras de fezes testadas foram positivas para parasitoses intestinais. Esses dados destacam a importância crítica de intervenções sanitárias e educacionais nas regiões estudadas. Além disso, o mapeamento genético das doenças detectadas fornece insights valiosos sobre a circulação de vírus e bactérias na região, o que é fundamental para o desenvolvimento de estratégias de prevenção e tratamento.

O Papel da Marinha e Parcerias Estratégicas

O sucesso do Projeto Navio sublinha o papel vital que a MB desempenha não apenas na defesa nacional mas também no apoio à ciência e à saúde pública. A parceria estratégica com a Fiocruz e as secretarias de saúde estaduais demonstra um modelo eficaz de colaboração interinstitucional. Juntos, eles estão não apenas prestando serviços essenciais mas também gerando conhecimentos que podem orientar políticas públicas de saúde para as populações vulneráveis do Pantanal.

Impacto Comunitário e Futuro do Projeto

Para as comunidades ribeirinhas, como relatado por Leonida de Souza, da comunidade Barra do São Lourenço, a visita dos navios representa uma rara oportunidade de acessar cuidados de saúde. Esta expressão de gratidão ressoa com o compromisso da equipe do projeto de retornar e continuar seu trabalho vital. Olhando para o futuro, o Projeto Navio se prepara para expandir seu alcance e profundidade, continuando a ser um farol de esperança e inovação no Pantanal.

Marcelo Barros, com informações da Agência Marinha
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).