Empresa prestadora de serviços para a concessionária de energia elétrica do Mato Grosso do Sul já efetivou quatro jovens do PSC

Os jovens que cumprem o Serviço Militar Obrigatório (SMO) ou Voluntário no Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN) encontram no Projeto “Soldado Cidadão” (PSC), desenvolvido pelo Ministério da Defesa (MD) e com a parceria de instituições civis e militares, diversas oportunidades de qualificação, social e profissional, para o ingresso no mercado de trabalho.

O Projeto funciona desde 2004 nas Forças Armadas e já capacitou mais de 200 mil jovens em todo o território nacional. No âmbito do Com6ºDN, de 2019 a agosto deste ano, 1.859 militares puderam escolher entre mais de 60 cursos presenciais e a distância: “Mecânico de motor de popa”, “Assistente de contabilidade”, “Formação de eletricistas de operação e manutenção de redes de distribuição”, “Motorista Categoria D”, “Empreendedorismo”, “Soldador”, “Operador de computador”, “Mecânica Industrial”, “Mineração”, entre tantos outros.

Fernando Amorim de Barros, um dos beneficiados do PSC em 2020, foi efetivado como motorista de caminhão em uma empresa privada de eventos assim que encerrou seu período de oito anos como militar voluntário. “Eu fiquei muito interessado quando abriram vaga para categoria ‘D’, porque eu já trabalhava como motorista na Marinha, mas de veículos leves. Essa oportunidade foi perfeita para mim, pois o mercado é muito bom aqui na região para quem pode dirigir caminhão, tanto que fiquei apenas dois meses desempregado. Tenho só a agradecer: aprendi muito como militar e dirigir é a minha paixão”, contou.

blank
Fernando A. de Barros foi habilitado na Categoria “D” dentro do PSC

A JS é prestadora de serviços para a Energisa – concessionária de energia elétrica de Mato Grosso do Sul e parceira do Com6ºDN – e já efetivou quatro jovens eletricistas e outros quatro estão passando pelo processo de contratação. Elivelton Alpires Rodrigues, de apenas 22 anos, é um deles. Ele serviu por um ano e seis meses e fez o curso de Eletricista de Operação e Manutenção de Redes de Distribuição de Energia Elétrica. “Um Sargento me falou da vaga, poucos meses antes de concluir o SMO, então falei que tinha interesse, porque eu já estava preocupado com o mercado de trabalho. Eu já tinha uma base na parte de elétrica, então me bastou querer. Logo que encerrou meu período na Marinha, me ligaram da empresa, providenciei a documentação e comecei a trabalhar como eletricista” disse.

A coordenadora da JS, Samara Cristina de Barros Ferraz, conta que o setor de Recursos Humanos ficou apenas aguardando os militares encerrarem o período na Marinha para entrar em contato e iniciar processos de contratação. “Quando vimos as fotos do curso e também deles todos com o certificado na mão, nossos olhos brilharam. Sabemos que é um curso caro, que não tem na cidade, então esse projeto da Marinha com a Energisa é perfeito. Se a gente não contratar esses meninos, outras empresas irão”, ressaltou.

Nos últimos dois anos, o Com6ºDN foi homenageado pelo MD no Prêmio “Melhor Gestão do PSC” por se destacar ao promover diversas parcerias e realizar diferentes cursos voltados à capacitação dos Marinheiros que desembarcam das organizações militares e precisam enfrentar o mercado de trabalho com formação técnica-profissional.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui