Em um esforço contínuo para garantir a segurança e promover a conservação nas áreas fluviais do Brasil, o Comando do 6º Distrito Naval (Com6°DN) da Marinha do Brasil conduziu, de 14 a 16 de março de 2024, a Operação Guaporé, uma importante missão de navegação exploratória no rio Guaporé, situado entre os estados de Mato Grosso e Rondônia. Este projeto marcou a primeira iniciativa do tipo na região desde 2013, destacando a dedicação contínua da Marinha em manter e fortalecer sua presença nas áreas vitais do país.

Contexto e Participação Militar

blank

A operação contou com a participação de diversas unidades, incluindo a Capitania Fluvial de Mato Grosso, o 3° Batalhão de Operações Ribeirinhas, o Centro de Hidrografia e Navegação do Oeste da Agência Fluvial de Cáceres, e o Grupo Especial de Segurança de Fronteira, subordinado à SESP/MT. Esta colaboração interagências sublinha a capacidade da Marinha de integrar forças para uma atuação mais estratégica e eficaz nas operações fluviais.

Objetivos e Impacto da Operação

O principal objetivo da Operação Guaporé foi fortalecer a mentalidade de segurança entre as comunidades ribeirinhas e garantir a segurança da navegação no rio Guaporé. As atividades incluíram o reconhecimento do trecho navegável do rio, estabelecendo as bases para futuros levantamentos hidrográficos que irão facilitar a navegação segura e eficiente, ao mesmo tempo em que protegem o rico ecossistema da região.

Conservação Ambiental e Segurança Comunitária

Além de focar na segurança da navegação, a operação também teve um forte componente de conservação ambiental. A Marinha do Brasil reconhece a importância de preservar o patrimônio natural do Vale do Guaporé, uma área conhecida por sua biodiversidade e significância ecológica. As ações da Marinha visam não apenas proteger essas águas como também garantir que as comunidades locais continuem a se beneficiar de um ambiente saudável e sustentável.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).