Em um esforço contínuo para fortalecer a segurança e a cooperação internacional, a Marinha do Brasil, por meio da Missão de Instrutores e Assessores em Desminagem Humanitária (MIADH), desempenhou um papel crucial na capacitação de desminadores na Colômbia. No dia 19 de abril, foi concluído com sucesso o Curso Básico de Desminagem Humanitária nº 11, realizado no Centro de Entrenamiento e Capacitación para Operaciones de Paz, localizado na Base de Entrenamiento de Infantería de Marina, em Coveñas, Colômbia.

Detalhes da Capacitação e Instrutores

blank
Instrutores e militares concludentes do Curso Básico de Desminagem Humanitária Nº 11

O curso intensivo, com duração de 269 horas, formou 10 militares colombianos, habilitando-os a realizar desminagem manual (TDM) em áreas afetadas por artefatos explosivos, incluindo minas antipessoal e restos explosivos de guerra. A formação foi conduzida pelos instrutores Capitão-Tenente (FN) Alex Fernando Spadotti e Suboficial (FN-EG) Frank Lucio Dacio Galvão, ambos integrantes da MIADH, destacando a expertise brasileira na área de desminagem humanitária.

Contribuições e Impacto do Programa de Desminagem Humanitária

Desde sua criação em 2015, o Programa de Desminagem Humanitária da Armada da Colômbia tem contado com o apoio constante da Marinha do Brasil, que iniciou sua colaboração com o envio de dois Oficiais Fuzileiros Navais. Ao longo dos anos, o programa tem sido um sucesso notável, capacitando um total de 527 militares sem registrar nenhum acidente com artefatos explosivos durante as operações, um testemunho do rigor e da eficácia do treinamento proporcionado.

Significado Estratégico e Benefícios Mutuos

A cooperação entre Brasil e Colômbia nesse domínio não apenas ajuda a garantir a segurança de áreas antes perigosas, mas também promove a paz e a estabilidade na região. A expertise compartilhada e os laços fortalecidos entre as duas nações destacam a importância de parcerias internacionais na resolução de desafios de segurança globais e na construção de um futuro mais seguro para as populações afetadas.

Futuro da Colaboração

A conclusão bem-sucedida do 11º Curso de Desminagem Humanitária é uma prova do compromisso contínuo do Brasil e da Colômbia com a segurança humanitária e o desenvolvimento regional. À medida que a colaboração entre as duas marinhas se desenvolve, espera-se que mais iniciativas desse tipo continuem a fazer uma diferença significativa na vida das comunidades vulneráveis à ameaça de minas terrestres e outros artefatos bélicos.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).