O Navio Hidrográfico Balizador “Tenente Boanerges” destacou-se recentemente ao realizar a comissão “SINÁUTICA VIII” na Baía de Todos-os-Santos, entre os dias 29 de abril e 3 de maio. Sob a égide do Serviço de Sinalização Náutica do Leste, a embarcação desempenhou um papel crucial na manutenção da segurança marítima ao executar uma série de atividades essenciais para a eficácia da sinalização náutica.

Atividades de Manutenção e Adestramento

Durante a comissão, uma variedade de tarefas foram conduzidas com maestria pela equipe do “Tenente Boanerges”. A inspeção, manutenção e pintura dos faroletes “Mar Grande” e “Cabeça de Negro”, juntamente com a inspeção diurna e noturna das boias do Canal de Itaparica, demonstram o compromisso incessante da Marinha do Brasil com a segurança marítima.

Além disso, a comissão proporcionou uma oportunidade valiosa para o aprimoramento da preparação dos militares de bordo. A condução de exercícios operativos, especialmente os relacionados ao Controle de Avarias e Homem ao Mar, evidencia o constante investimento na capacitação e prontidão da tripulação do navio.

Contribuição para a Segurança da Navegação

A manutenção da sinalização náutica desempenha um papel fundamental na garantia da segurança da navegação, especialmente em áreas costeiras movimentadas como a Baía de Todos-os-Santos. Através do trabalho incansável do Navio Hidrográfico Balizador “Tenente Boanerges” e de sua tripulação, os riscos associados à navegação foram reduzidos significativamente, proporcionando condições mais seguras para as atividades marítimas na região.

Compromisso com a Excelência e Segurança Marítima

A comissão “SINÁUTICA VIII” realizada pelo Navio Hidrográfico Balizador “Tenente Boanerges” reafirma o compromisso da Marinha do Brasil com a excelência operacional e a segurança marítima. Ao assegurar a manutenção adequada da sinalização náutica e promover o treinamento contínuo da tripulação, a Marinha continua a desempenhar um papel vital na proteção dos interesses marítimos nacionais e na promoção de um ambiente marítimo seguro e estável.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).