Durante o período de 21 de abril a 3 de maio, uma significativa troca de conhecimentos entre a Seleção Militar de Paraquedismo do Brasil e a Seleção da Bélgica aconteceu em Piracicaba. Este intercâmbio, que ocorreu em território brasileiro, teve como objetivo principal a preparação para o aguardado Campeonato Mundial Militar de Paraquedismo, marcado para julho, na Hungria.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Preparação Intensiva para a Competição Internacional

blank

A Seleção Militar de Paraquedismo da Bélgica, conhecida como Hayabusa, renomada por sua excelência na modalidade de formação em queda livre e detentora de mais de dez títulos mundiais, uniu forças com a equipe brasileira. Os treinamentos intensivos abordaram diversas técnicas, visando aprimorar as habilidades necessárias para competir em alto nível.

Brasil Representado pela Brigada de Infantaria Paraquedista

O time brasileiro, liderado pela Brigada de Infantaria Paraquedista, também fez sua marca no intercâmbio. Os Cometas, como são conhecidos, garantiram sua vaga após conquistarem o título no Campeonato Brasileiro de Paraquedismo das Forças Armadas em 2023. Esta será a 27ª vez que a equipe representará o Brasil em competições internacionais, demonstrando um histórico de sucesso e dedicação.

Modalidades em Destaque

O Campeonato Mundial Militar de Paraquedismo abrange diversas modalidades, incluindo formação em queda livre, estilo e precisão. A formação em queda livre, em particular, requer raciocínio rápido e trabalho em equipe, destacando a importância do entrosamento entre os membros da equipe.

Cobertura Mediática e Reconhecimento Internacional

Os treinamentos entre as equipes brasileira e belga despertaram interesse não apenas no meio militar, mas também na mídia. A cobertura em jornais nacionais e regionais destacou a importância do intercâmbio e a dedicação das equipes em busca da excelência.

O Papel do Conselho Internacional de Esportes Militares

Responsável pela organização do evento, o Conselho Internacional de Esportes Militares (CISM) desempenha um papel fundamental na promoção da camaradagem entre nações através do esporte. Com 140 países membros e 27 esportes principais, o CISM é uma das maiores organizações multi-esportivas do mundo.

Destaque Brasileiro na Presidência do CISM

Pela primeira vez, um militar brasileiro ocupa a presidência do CISM. O Coronel Nilton Gomes Rolim Filho, do Exército Brasileiro, teve a honra de presidir o conselho durante este período crucial. Sua presença em Piracicaba reflete o compromisso do Brasil com o desenvolvimento do esporte e a promoção da amizade entre as nações.

Amizade Através do Esporte: O Lema do CISM

O lema do CISM, “Amizade através do esporte”, ressoa neste intercâmbio entre Brasil e Bélgica, destacando o poder unificador do esporte para além das fronteiras e diferenças culturais.

Este intercâmbio não só fortalece os laços entre as nações participantes, mas também demonstra o compromisso

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).