O Navio de Apoio Oceânico Mearim, uma peça chave na estrutura operacional da Marinha do Brasil, cumpriu entre os dias 18 e 22 de fevereiro uma missão de vital importância. Subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul, o NapOC Mearim foi responsável pelo reboque do casco do ex-Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) Garcia D’Avila (G 29). Esta operação insere-se no contexto do exercício Missilex/Torpedex 2024, visando ao aprimoramento das capacidades operativas e ao treinamento da tripulação.

Versatilidade e Capacidade Operativa em Foco

blank

A escolha do NapOC Mearim para esta tarefa sublinha a versatilidade e capacidade operativa que o caracterizam. Além de desempenhar o papel crucial de Navio de Salvamento na área de responsabilidade do Comando 5º Distrito Naval, o Mearim apresenta uma ampla gama de funcionalidades, incluindo patrulha naval, lançamento de minas e apoio logístico móvel. Esta multifuncionalidade é essencial para a Marinha do Brasil, permitindo uma resposta eficaz a diferentes cenários operacionais e contribuindo para a segurança marítima nacional.

Contribuições para o Treinamento e Aprestamento da Tripulação

Durante a comissão, o NapOC Mearim não apenas realizou o reboque do ex-NDCC Garcia D’Avila, mas também prestou Apoio Logístico a Organizações militares subordinadas ao Comando 5º Distrito Naval. A realização de exercícios a bordo, incluindo operações aéreas e controle de avarias, foi fundamental para testar a prontidão do pessoal e do material, enriquecendo a qualificação e a experiência da tripulação.

O Exercício Missilex/Torpedex 2024 e a Evolução Operacional

A participação do NapOC Mearim no exercício Missilex/Torpedex 2024 reforça a importância da evolução constante das capacidades operativas da Marinha do Brasil. Ao utilizar o casco do ex-NDCC Garcia D’Avila como alvo do exercício, a Marinha não apenas otimiza recursos, mas também proporciona um cenário realista para a prática e avaliação de estratégias ofensivas e defensivas. Tal iniciativa reflete o compromisso contínuo com a excelência operacional e com a defesa dos interesses marítimos do Brasil.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).