Dois militares da Força Aérea Brasileira (FAB) concluíram, com sucesso, a participação no Curso de Operações na Selva (COS), categoria Bravo para Oficiais, e Charlie para Graduados. Realizada entre os meses de abril e julho, no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), na cidade de Manaus (AM), a formação contou com instruções teóricas e práticas de técnicas e táticas de combate e sobrevivência na selva amazônica.

Reconhecido como um dos cursos operacionais mais exigentes do Exército Brasileiro, o curso tem uma duração de 12 semanas e se divide em três etapas: a primeira é a de vida na selva, que ensina técnicas básicas de sobrevivência em ambiente de selva; a segunda é a fase de técnicas especiais, que aborda procedimentos de orientação na selva, natação utilitária, dentre outras atividades; e a fase final, de operações, na qual os alunos integram todos os conhecimentos adquiridos para planejar, comandar e participar de missões operacionais.

A cerimônia de encerramento do curso foi realizada no dia 1º de julho, quando os 82 concludentes receberam o título de “Guerreiros de Selva”, e contou com a presença de autoridades militares da Marinha do Brasil (MB), do Exército Brasileiro(EB) e da Força Aérea Brasileira (FAB).

O Sargento William da Silva Santos, do efetivo da Academia da Força Aérea (AFA), foi eleito pelos companheiros de turno como “Melhor companheiro” e ganhou a flâmula que foi carregada durante toda a duração do curso. “Cada ida à Selva era desafiadora, dada a grandeza da Amazônia. Foram muitos quilômetros percorridos a pé, por meio da selva, realizando as mais variadas missões. A mais marcante foi a Onça Aérea, cujo objetivo era chegar à famosa Clareira do Avião, um marco para todo Guerreiro de Selva”, ressaltou o militar.

O Tenente Hideyuki Simplicio Kitayama, do 7º/8º Grupo de Aviação, Esquadrão Harpia, sediado em Manaus (AM), contou que concluir o Curso foi a realização de um sonho. “Após alguns anos tentando conseguir a vaga, finalmente tive essa oportunidade. Graças a Deus, e com a ajuda da minha família e da minha noiva, consegui chegar ao final e receber o brevê de Guerreiro de Selva. Além da realização pessoal, o curso proporciona muitos aprendizados que serão aplicados nas missões cumpridas pelo Esquadrão na Região Amazônica”, destacou.

Fotos: Ala 8

Marcelo Barros, com informações e imagens da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui