Rio de Janeiro (RJ) – O Instituto Militar de Engenharia (IME) alcançou novamente a nota máxima (5) no Índice Geral de Cursos (IGC) de 2021, conforme divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) na última sexta-feira (31). O IGC é um indicador que avalia o desempenho das Instituições de Ensino Superior no Brasil.

O IGC 2021 levou em consideração as avaliações dos cursos de graduação realizadas nos anos de 2018, 2019 e 2021. Entre as 2.012 instituições avaliadas, apenas 45 obtiveram a nota máxima. Vale destacar que somente quatro instituições, incluindo o IME, alcançaram a nota máxima em todas as edições desde sua criação em 2007.

339129572 1161864624478135 4529819919890185987 n

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O índice é expresso em conceitos, com pontuação variando de 1 a 5, e é calculado a partir da média ponderada do Conceito Preliminar de Curso (CPC) ao longo de três anos, combinado com os resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE), que mede o desempenho dos estudantes.

O IME, conhecido pela excelência na formação de recursos humanos altamente qualificados no campo das Engenharias, honra suas tradições com essa importante conquista. Além disso, o resultado reflete o cumprimento rigoroso das diretrizes de ensino do Exército Brasileiro.

339281850 1557438821403542 6713599206764299076 n

Essa notável performance do IME reforça seu papel como uma instituição de ensino superior de destaque no país, preparando profissionais competentes e aptos a atuar no desenvolvimento de projetos e inovações em diversas áreas das engenharias. A conquista também evidencia o compromisso do IME com a excelência na educação, bem como o empenho dos seus docentes, discentes e profissionais envolvidos na formação acadêmica e profissional dos estudantes.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).