A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, na manhã desta quarta-feira (18/01), nas proximidades de Caporanga (SP), uma aeronave oriunda de outro país, que adentrou na região da fronteira, transportando drogas. Caças A-29 Super Tucano da FAB foram empregados na missão, realizada em conjunto com a Polícia Federal (PF).

Os radares brasileiros dos Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA) detectaram a aeronave entrando no território, por volta das 7h20 (horário de Brasília), sem plano de voo, ficando assim sujeita às medidas previstas no Decreto 5.144, de 16 de julho de 2004. Os meios de Defesa Aérea foram acionados e a PF avisada, por se tratar de uma aeronave fazendo uma rota de tráfico de drogas já conhecida.

i2311812313103728

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Durante todo o processo de interceptação, o piloto da aeronave ilícita realizava o voo em baixa altura e, após contato da FAB, fez um pouso forçado, em meio a uma área não habitada, abandonando a aeronave e a carga. As equipes da Polícia Federal de Marília e da Polícia Militar de São Paulo realizaram as Medidas de Controle de Solo.i2311812130602663

Para concluir com êxito a missão, a FAB utilizou as aeronaves A-29 com todas as suas capacidades de emprego. De acordo com o COMAE, realizar uma interceptação como esta, demonstra, mais uma vez, a prontidão e a operacionalidade da Força a qualquer hora.i2311812130602359

Ação permanente
As ações dessa quarta-feira fazem parte da Operação Ostium e da Operação Ágata, do Ministério da Defesa, interligadas ao Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF). O objetivo é coibir ilícitos no espaço aéreo brasileiro, no qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública, em cumprimento ao Decreto nº 5.144 de 16 de julho de 2004.

Fotos: Polícia Federal e Agência Força Aérea

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).