Presentes no Exercício Conjunto (EXCON) Tápio 2022, os Controladores de Tráfego Aéreo atuam para viabilizarem os pousos e as decolagens das aeronaves pertencentes aos Esquadrões de Caça, Transporte, Reconhecimento e Asas Rotativas da Força Aérea Brasileira (FAB). Durante o dia, e também à noite, o espaço aéreo da Base Aérea de Campo Grande (BACG), no Mato Grosso do Sul, onde os treinamentos ocorrem, passa a ser diferenciado por conta das movimentações dos aviões.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Comandante do Departamento de Controle do Espaço Aéreo de Campo Grande (DTCEA-CG), Major Aviadora Débora Ferreira Monnerat, comenta acerca da importância dos controladores na Tápio, considerado um dos maiores exercícios operacionais realizados pela FAB. “Para esta missão, existe toda preparação por parte dos controladores. Antes das atividades iniciarem, eles passam por um simulador, retratando exatamente as operações desse exercício. Ainda, aumentamos a quantidade de militares na torre para que realmente a Tápio possa ocorrer com segurança”, destaca a Oficial.

Atuação dos Controladores de Tráfego Aéreo

Os controladores prestam serviços necessários para a circulação aérea geral (aviação civil) e a operacional (aviação militar). No Brasil, o Sistema de Controle do Espaço Aéreo é integrado, o que contribui para uma melhor articulação desse importante serviço prestado à sociedade brasileira. O profissional participa da vigilância do espaço aéreo brasileiro e controla as missões da defesa aérea do país, mas também atua na coordenação do tráfego civil. Na aviação civil, participa de todas as etapas, desde a decolagem das aeronaves, o percurso que elas seguem nas aerovias, ou seja, nas “estradas” do céu, até o pouso. Estes profissionais estipulam procedimentos de subida e descida, prestam serviços de informação de voo e fornecem importantes informações meteorológicas.

Com colaboração da Aspirante Roberta Nunes.

Vídeo: Sargento Ronan / CECOMSAER

Fotos: Sargento Bianca Viol / CECOMSAER

Marcelo Barros, com informações da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).