blank
Fotos: Igor Soares/ Ministério da Defesa

Nesta quinta-feira (28), encerrou-se a XV Conferência de Ministro de Defesa das Américas (XV CMDA), em Brasília. O fórum contou com a presença de representantes de 22 nações para discutir temas relacionados à Defesa e à Segurança.

blank
Fotos: Igor Soares/ Ministério da Defesa

O presidente da CMDA e Ministro da Defesa do Brasil, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, seus homólogos e chefes de delegação assinaram a Declaração de Brasília em sessão plenária, na Conferência. “O presente ciclo da CMDA cumpriu o propósito de proporcionar a oportunidade de diálogo, compartilhamento de ideias e conhecimento mútuo nas áreas de defesa e segurança”, frisou o ministro, na cerimônia de encerramento.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O documento oficializa os compromissos firmados pelos países que estiveram presentes no fórum, além de detalhar os temas que serão estudados nos Grupos de Trabalho do próximo biênio 2023/2024. As autoridades reafirmaram “seu compromisso de continuar promovendo e fortalecendo a paz no Hemisfério”.

E cita ainda: “seu compromisso inalienável com a defesa dos valores da autodeterminação, da independência nacional, do respeito a integridade territorial, a proteção de populações civis, à liberdade frente à dominação estrangeira”.

Os resultados das discussões dos Grupos de Trabalho (GTs) realizados ao longo do biênio 2021/2022 também foram apresentados no fórum. Ciberdefesa e ciberespaço; mulher, paz e segurança; cooperação em assistência humanitária e socorro em casos de desastre foram os temas dos GTs. O papel das Forças Armadas frente a fluxos migratórios foi apresentado pelo Brasil, por meio da exposição da Operação Acolhida. Também foi discutida a temática sobre o fortalecimento da dissuasão integrada: ar, mar, terra, espaço e ciberespaço.

O próximo país a sediar a CMDA é a Argentina.