Fotos: Igor Soares/ Ministério da Defesa

Nesta quinta-feira (28), encerrou-se a XV Conferência de Ministro de Defesa das Américas (XV CMDA), em Brasília. O fórum contou com a presença de representantes de 22 nações para discutir temas relacionados à Defesa e à Segurança.

blank
Fotos: Igor Soares/ Ministério da Defesa

O presidente da CMDA e Ministro da Defesa do Brasil, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, seus homólogos e chefes de delegação assinaram a Declaração de Brasília em sessão plenária, na Conferência. “O presente ciclo da CMDA cumpriu o propósito de proporcionar a oportunidade de diálogo, compartilhamento de ideias e conhecimento mútuo nas áreas de defesa e segurança”, frisou o ministro, na cerimônia de encerramento.

O documento oficializa os compromissos firmados pelos países que estiveram presentes no fórum, além de detalhar os temas que serão estudados nos Grupos de Trabalho do próximo biênio 2023/2024. As autoridades reafirmaram “seu compromisso de continuar promovendo e fortalecendo a paz no Hemisfério”.

E cita ainda: “seu compromisso inalienável com a defesa dos valores da autodeterminação, da independência nacional, do respeito a integridade territorial, a proteção de populações civis, à liberdade frente à dominação estrangeira”.

Os resultados das discussões dos Grupos de Trabalho (GTs) realizados ao longo do biênio 2021/2022 também foram apresentados no fórum. Ciberdefesa e ciberespaço; mulher, paz e segurança; cooperação em assistência humanitária e socorro em casos de desastre foram os temas dos GTs. O papel das Forças Armadas frente a fluxos migratórios foi apresentado pelo Brasil, por meio da exposição da Operação Acolhida. Também foi discutida a temática sobre o fortalecimento da dissuasão integrada: ar, mar, terra, espaço e ciberespaço.

O próximo país a sediar a CMDA é a Argentina.

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui