A Força Aérea Brasileira (FAB), em uma iniciativa conjunta com a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), vem realizando ações preventivas e repressivas nos aeroportos internacionais de Guarulhos (SP) e Galeão (RJ). A Operação Ponte Aérea, conduzida pela Força Aérea Numerada 34 (FAN 34), subordinada ao Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), alcançou a marca de 15 dias no dia 21/11, atuando em colaboração com órgãos como Polícia Federal, Receita Federal, Polícia Rodoviária Federal, ANVISA, e as polícias militar e civil dos estados envolvidos.

Revistas Discretas e Eficientes

7 scaled

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Nas atividades de revista realizadas de forma discreta, respeitando a integridade e direitos dos funcionários e passageiros, a FAB conseguiu revisar 358 pessoas e 51 veículos, mantendo o fluxo de aeronaves e o movimento nos aeroportos sem interrupções.

Horas de Patrulhamento e Atuação de Faro

A operação registrou 230 horas e 10 minutos de patrulhamento e 35 horas e 40 minutos em atividades de faro, abrangendo um volume aproximado de 4.102 metros cúbicos. Este esforço é equivalente a cerca de 70 caminhões baú de grande porte.

Cooperação Interagências e Impacto

2 scaled

A Operação Ponte Aérea também registrou cerca de 77 horas de operações interagências, demonstrando a sinergia e cooperação entre diferentes órgãos federais, com foco em combater ilícitos como tráfico de drogas e armas. O Brigadeiro de Infantaria José Roberto de Queiroz Oliveira, Subcomandante da Operação, enfatizou a importância dessa cooperação para o sucesso das ações.

Missão da Força Aérea Numerada 34

A FAN 34, criada especificamente para esta operação, teve a missão de planejar, coordenar e executar o controle e supervisão das ações aeroespaciais, coletar e avaliar resultados, custos, e lições aprendidas, além de fortalecer as relações com as forças singulares e órgãos governamentais.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).