Na manhã de hoje, 26 de abril, a comunidade militar de Brasília reuniu-se em uma cerimônia solene para marcar a transferência do Capitão Passos para a reserva remunerada, após uma distinta carreira de mais de 30 anos a serviço do Exército Brasileiro. O evento não apenas celebrou suas contribuições significativas, mas também desejou-lhe um futuro próspero e saudável em sua nova jornada fora do serviço ativo.

Presença de altos oficiais e reconhecimento de serviços

blank

A cerimônia contou com a presença de notáveis figuras militares, incluindo o General de Brigada Luís Carlos, Chefe do Centro de Defesa Cibernética, e o Coronel Vasques, Chefe do Estado Maior da 11ª Região Militar. A presença desses altos oficiais sublinhou a importância do Capitão Passos no Exército e o respeito que ele conquistou ao longo de sua carreira.

Contribuições e legado

Durante seus mais de 30 anos de serviço, Cap Passos teve um papel vital em várias capacidades, contribuindo significativamente para as missões e o avanço das capacidades do Exército Brasileiro. Sua dedicação não apenas fortaleceu a instituição, mas também serviu de exemplo para as gerações futuras de militares.

Agradecimentos e votos de sucesso

A Prefeitura Militar de Brasília e todos os seus integrantes expressaram profundos agradecimentos pelos serviços prestados pelo Capitão Passos. Em um discurso emocionante, foi destacado o impacto duradouro de sua liderança e integridade. Além disso, desejos sinceros de saúde e sucesso foram compartilhados, ressaltando o apoio contínuo da comunidade militar em sua transição para a reserva.

Significado da reserva remunerada

A transferência para a reserva remunerada é um marco significativo na carreira de qualquer militar. Representa não apenas o fim de uma era de serviço ativo, mas também o início de um novo capítulo, onde experiências e sabedorias acumuladas continuam a influenciar positivamente a sociedade civil. Para o Capitão Passos, essa transição oferece uma oportunidade para empreender novos projetos, possivelmente fora dos limites tradicionais do serviço militar, mas sempre com a mesma paixão e comprometimento que pautaram sua carreira no Exército.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).