blank

Google News

O governo do estado fará parceria com o Cluster Tecnológico Naval para a modelagem dos negócios previstos para o futuro complexo pesqueiro que funcionará na área do antigo estaleiro Caneco, no Caju, Zona Portuária do Rio. A área foi arrematada pelo estado em leilão realizado em março deste ano. O anúncio foi feito pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Cássio Coelho, em visita ao local nesta semana.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

– O Rio de Janeiro é um grande mercado consumidor de pescado e tem um litoral com mais de 600 quilômetros de extensão e 25 colônias de pesca. A criação do complexo pesqueiro será o início da recuperação do setor. Irá atrair indústrias beneficiadoras, o que proporcionará melhor qualidade para o pescado comercializado no estado e gerar emprego e renda para a população fluminense – explicou o governador Cláudio Castro.

O projeto do complexo prevê um polo voltado para embarcações de recreio e esporte, um centro de formação de mão de obra para os setores náutico e pesqueiro, o ponto de convergência do projeto de recuperação ambiental Baía Reinventada, e a sede do sistema de governança do Cluster Baía de Guanabara.

– Com a implantação do complexo pesqueiro, o governo está dando um importante passo para alavancar a economia do mar. Vamos procurar também trazer para a área uma unidade da Universidade do Mar, um atracadouro para barcos de pesquisa de universidades e um shopping do mar com lojas, bares e restaurantes – disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Cássio Coelho.

Depois de inspecionar o local onde será instalado o complexo pesqueiro, o secretário se reuniu, no Arsenal da Marinha, com o vice-almirante Edesio Teixeira Lima Junior, diretor-presidente da Emgepron (Empresa Gerencial de Projetos Navais) e vice-presidente do Conselho de Administração do Cluster Tecnológico Naval, e o vice-presidente da Firjan, Carlos Erani. A Emgepron é uma das quatro fundadoras do Cluster que, hoje, reúne cerca de 40 empresas voltadas para o desenvolvimento da Economia do Mar, setor que engloba também a pesca.

– Com grande satisfação vimos o comprometimento do governo do estado em estabelecer ambientes e cadeias de negócios vinculados à economia do mar e que possam, de forma estruturada, integrada e coordenada, trazer o desenvolvimento socioeconômico para o nosso estado – comentou o vice-almirante Edesio Teixeira Lima Junior.

Fonte: Governo do RJ